Forum da Cultura Digital

Posted by recunha novembro 06, 2010 0 comments

Fonte: Forum Cultura Digital/Leonardo Foletto


Depois de 17 dias recebendo propostas para a programação, seja na forma de experiência, pesquisa acadêmica, oficina ou encontro de redes foi divulgada a programação do Fórum da Cultura Digital 2010. Foram enviadas mais de 100 propostas a partir da chamada pública para apresentação de atividades. Na medida do possível, os organizadores tentaram incorporar todas as sugestões na programação, "dentro do que se dá para fazer em três dias de evento sem matar de cansaço todo mundo. Podemos dizer que quase todas as inscrições feitas estão na programação; as poucas que não entraram foram por viabilidades técnicas ou financeiras que ainda estamos tentando resolver."
Imagem da CinematecaA produção do Fórum da Cultura Digital 2010 já está em contato com todos os participantes das experiências, oficinas, pesquisas acadêmicas e redes (ou entrará em contato nos próximos dias) para informar sobre os detalhes da participação de cada um. A seguir, os posts com detalhes sobre o local e a programação de cada uma das cinco áreas do evento:

Entre as propostas a serem apresentadas pelas empresas públicas de tecnologia e informação para as questões relacionadas a infraestrutura do Plano Nacional de Banda Larga (PNBL) está o uso livre da  faixa de frequência de 700 MHz, que ficará disponível quando terminar o processo de migração da TV analógica para a digital, em 2016.
 
Defendida pela Empresa de Tecnologia de Informação do Ceará (Etice), a proposta, que deve ser encaminhada ao Fórum Brasil Conectado, tem por objetivo abrigar nessa faixa os equipamentos de transmissão das redes públicas de processamento de dados. Com isso, essas empresas entram na disputa pela faixa dos 700 MHz, que já mobiliza os radiodifusores, seus atuais oupantes, e operadoras de telecom.


O PNBL foi um dos temas dos paineis gerais do 38º Seminário Nacional de TIC para Gestão Pública - Secop 2010, que também debateu “Oportunidades e Desafios da TIC para a Copa do Mundo 2014". O Secop 2010, promovido pela Associação Brasileira das Entidades de TICs (ABEP), reuniu em Fortaleza (ago/2010) gestores de informática para a gestão pública de todo o Brasil.


A execução de ações conjuntas e "a integração entre as empresas estaduais e a Telebrás poderá agilizar o processo (de fornecer conexões dentro do PNBL)", observou Paulo Cesar Coelho, presidente da Proderj. Entre as outras propostas apresentadas está a de exigir que todas as obras públicas prevejam, em seus projetos, a implantação de dutos e fibras ópticas para a implantação de redes de telecomunicações. E que parte dessas fibras seja considerada de utilidade pública, com contrapartidas a serem definidas.

Copa 14

No tema de Copa 2014, o que ficou claro, com a apresentação do representante da Oi, Roni Wajnberg, é que para o evento em si a Fifa traz, dentro de um pacote fechado, a lista de seus principais fornecedores -- desde o segmento de hotelaria até telecomunicações. Esses fornecedores é que vão contratar os serviços e equipamentos de provedores locais.


O grande desafio das empresas públicas de TICs, observou Coelho, da Proderj, será garantir que, dentro dos projetos de atendimento dos cadernos de encargos da Fifa, tudo o que for construído possa vir a constituir um legado, a ser usado pelo serviço público das cidades onde o evento vai ocorrer. "Acabar a Copa sem melhorar serviços de transporte, segurança, saúde no país é perder uma grande oportunidade", constata ele. E ressalva: "Não sei se há consciência clara do país em relação o que podemos ter de ganhos, de forma integrada". É verdade -- nenhuma solução nesse sentido foi apresentada pelos participantes do painel.

WIRELESS MUNDI | Nº5 | Set 2010
Conex@o Agov
Uma parceria entre a Momento Editorial e o CPqD vai permitir a criação de um Ranking das Cidades Digitais no país. A iniciativa tem como objetivo estimular as melhores políticas públicas de oferta de serviços de governo eletrônico à população e de disseminação do acesso à internet, por meio de pontos de coletivo de acesso e formação dos usuários. Com a criação do ranking, a revista Wireless Mundi espera ajudar os gestores públicos a buscar modelos sustentáveis de cidades digitais e metas para se alcançar a plena urbanização digital dos municípios. O ranking pretende, a partir do levantamento, criar uma pontuação para os projetos, elegendo as melhores iniciativas, que poderão servir de parâmetro para os municípios que ainda estão em busca de um modelo sustentável e se “perdem” em meio a diversidade de conceitos e formatos dos diferentes projetos de inclusão digital existentes.
 
A equipe do CPqD desenvolveu uma metodologia de classificação a partir do conceito, segundo o qual uma cidade, para ser digital, precisa: 1) conectar os órgãos públicos e aumentar a eficiência administrativa; 2) incorporar a tecnologia em sua política para que a infraestrutura possa resultar na oferta de melhores serviços à sociedade e em maior transparência dos gastos públicos; e 3) oferecer pontos de acesso gratuito à internet e difundir ações de inclusão digital. Com 14 questões, em formato fechado, o levantamento vai apurar o nível de informatização dos governos; a qualidade e a extensão da conexão à internet; os serviços eletrônicos disponíveis aos cidadãos; o grau de cobertura para acesso individual; e o grau de maturidade e interatividade com os cidadãos, entre outras. Para facilitar o preenchimento do questionário pelos gestores públicos, a Momento Editorial colocou o questionário no site da revista Wireless Mundi. As informações enviadas serão, posteriormente, analisadas pela equipe do CPqD, responsável pela elaboração do Ranking.

Ranking digital: a posição do Brasil fica estável.
Na edição 2010 da pesquisa Ranking Economia Digital, o Brasil manteve a mesma colocação obtida em 2009, o 42º segundo lugar, graças à melhoria nas categorias de “ambiente de negócios”, com melhores pontuações em oportunidade de mercado (7,8 pontos) e melhor política de investimento estrangeiro (7,75). Entretanto, o país piorou seu desempenho em “visão e política do governo” e “ambiente social e cultural”, com queda na nota de nível educacional de 7,5 para 6 pontos. A categoria “infraestrutura de tecnologia e conectividade” revela que a internet alcançou um percentual de crescimento menor que em 2009 e, por isso, o Brasil recebeu nota 3. Já o acesso a celulares cresceu nesse ano, o que rendeu 9 pontos, a melhor pontuação do país em todas as categorias do ranking. O estudo não aponta alterações nas notas de “ambiente jurídico” e “adoção por empresas e consumidores” no país.

Produzido anualmente pela divisão de consultoria da IBM e pela Unidade de Inteligência do The Economist, o estudo está em sua 11ª edição, e tem por objetivo avaliar a capacidade de 70 países de absorverem novas tecnologias de informação e comunicação e aplicá-las a favor do desenvolvimento econômico e social. Em toda a trajetória do estudo, o Brasil alcançou sua melhor posição em 2006, ocupando a 41ª posição. No ranking 2010, anunciado no final de julho, a Suécia, com 8,49 pontos, é a líder da pesquisa, seguida pela Dinamarca – primeira posição de 2009 –, Estados Unidos e Finlândia. Na América Latina, o Brasil ocupa o 2º lugar do ranking, perdendo para o Chile, em 30º na classificação geral. Com pontuação total de 5.27 do total de 10, o país manteve a mesma posição do ano passado, ainda que com uma nota inferior à dos 5.42 pontos conquistados em 2009. Também estão na pesquisa a Argentina (46ª posição), Peru (53º), Venezuela (55º) e Equador (60º). Já entre os países do bloco econômico BRIC, o Brasil manteve a liderança, apresentando o melhor ambiente geral para o crescimento do e-commerce.

O Ranking Economia Digital 2010 avaliou os quesitos qualidade de banda larga e conexões de fibra e 3G, o que provocou queda de posição em alguns dos países europeus e norte-americanos que aparecem entre os dez primeiros. Neles, a disponibilidade de conexões ultra-rápidas ainda precisa ser desenvolvida. Em contrapartida, economias asiáticas que investiram pesado na próxima geração de infraestrutura para internet subiram consideravelmente no ranking.

Cálculo das pontuações
A pontuação resulta da análise de seis categorias (e seu peso no modelo): infraestrutura de tecnologia e conectividade (20%); ambiente de negócios (15%); ambiente social e cultural (15%); ambiente jurídico (10%); visão e política do governo (15%); e adoção por empresas e consumidores (25%).

Fonte: NEOFLUXO
Com o objetivo de identificar o fluxo das informações na internet sobre a eleição presidencial brasileira de 2010, o Grupo de Pesquisa Comunicação, Tecnologia e Cultura da Rede do Programa de Mestrado da Cásper Líbero (Teccred) desenvolveu o projeto de pesquisa aplicada NeoFluxo – um sistema especialmente programado para a coleta de dados de fontes oficiais dos principais candidatos (Facebook, Youtube, Flickr, Twitter e site oficial) e menções específicas no Twitter. O projeto, com apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), armazenou mais de 20 milhões de menções aos candidatos e palavras-chave definidas pelos pesquisadores responsáveis. Todo o material está disponível para visualização, cruzamento de dados e pesquisas, através da possibilidade da construção de APIs.

A principal meta dos pesquisadores é contribuir de maneira efetiva para a compreensão dos novos fluxos informativos na Web, cujo papel foi extremamente debatido durante a campanha. O questionamento sobre a relevância da rede nesta eleição permeia conversas de eleitores e estrategistas de campanhas. Alguns defendem que a Web foi um espaço para disseminar boatos, mentiras e ataques. Outros a enxergam como instrumento de engajamento e debate profundo de questões fundamentais para o país.

Com os dados disponibilizados pelo NeoFluxo será possível analisar, através de relações baseadas em metodologias científicas, como se deu o fluxo de informações na rede sobre a campanha presidencial brasileira. "O projeto NeoFluxo fornecerá aos pesquisadores e profissionais uma grande base de dados sobre como se comportaram as redes sociais nas eleições presidenciais brasileiras. Esses parâmetros são importantes, pois tiram os debates do âmbito apenas da percepção e passam as análises para o campo científico, que é importante para entendermos como os fluxos informacionais na Web podem ocorrer, nesse caso, no período eleitoral", afirma o coordenador do projeto, Prof. Dr. Walter Lima.

A metodologia utilizada pelo Teccred para fazer a coleta de dados foi fundamentada em palavras-chave selecionadas pelos pesquisadores com base no horário eleitoral dos candidatos na televisão. Para identificar o fluxo informativo e verificar quais mensagens e orientações dos candidatos influenciaram discussões, o NeoFluxo tomou como base o Twitter – rede que alcançou 8,9 milhões de visitantes em agosto de 2010, segundo a comScore.
Números e dados públicos

O NeoFluxo armazenou as atualizações dos canais oficiais (Twitter, Facebook, YouTube, Flickr e site) dos candidatos Dilma Rousseff e José Serra nos períodos de 11/09 a 03/10 e, durante o segundo turno, de 08/10 a 29/10. As atualizações da candidata Marina Silva também foram coletadas de 23/09 a 03/10. O resultado da coleta traz mais de 20,2 milhões de menções aos termos inseridos pelos pesquisadores, “Dilma”, “Serra” e “Marina”. A candidata eleita contabiliza mais de 1,6 milhões de citações diretas; enquanto José Serra alcança 1,3 milhões.

Todo o material compilado pelo NeoFluxo representa um amplo escopo de pesquisas sobre as eleições presidenciais de 2010 e seu impacto na internet. Com o objetivo de ampliar ao máximo as possibilidades de estudos, o acesso a todos os dados é oferecido à comunidade a partir de uma plataforma aberta, sob uma licença Creative Commons. As bases do NeoFluxo estão disponíveis por meio de uma API - conjunto de padrões de programação para acesso a um aplicativo de software baseado na web. Assim, os dados do NeoFluxo são acessíveis a qualquer desenvolvedor. Novas visualizações e relações entre as menções arquivadas podem ser criadas por quem tiver interesse. Informações como números de atualização dos candidatos em cada rede, lista de mensagens oficiais dos concorrentes e a busca no banco de dados do NeoFluxo são possíveis por meio da API, nos formatos XML e JSON.

O site do projeto disponibiliza ferramentas para que pessoas sem conhecimento técnico também possam ter acesso ao conteúdo do NeoFluxo. Já estão disponíveis as visualizações referentes ao primeiro turno das eleições, que revelam, por exemplo, que o perfil em rede social mais utilizado pela presidente eleita foi o Flickr, já o candidato derrotado priorizou o Facebook – que também traz as atualizações feitas no Twitter pelo candidato.
NeoFluxo nas redes

NeoFluxo Portal
NeoFluxo Twitter
NeoFluxo Facebook

Sobre o Teccred


O Grupo de Pesquisa Comunicação, Tecnologia e Cultura da Rede da Faculdade Cásper Líbero (Teccred), vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Faculdade Cásper Líbero, é coordenado pelo Prof. Dr. Walter Teixeira Lima Júnior e composto por 23 pesquisadores, entre eles dois professores doutores, mestres e mestrandos, alunos lato sensu da Cásper Líbero, além de pesquisadores de iniciação científica da instituição. Clique aqui para o Twitter Teccred.

O Projeto Criança e Consumo divulgou um boletim que mostra o levantamento sobre a quantidade de publicidade que foi dirigida às crianças durante o mês de outubro de 2010.

Plano Nacional de Cultura

Posted by recunha novembro 05, 2010 0 comments

Gestores, artistas, produtores e cidadãos podem acompanhar a tramitação do Plano Nacional de Cultura (PNC) no Congresso Nacional por blog e no site do Senado.



Ementa: Institui o Plano Nacional de Cultura - PNC, cria o Sistema Nacional de Informações e Indicadores Culturais - SNIIC e dá outras providências.
Explicação da ementa:
 
Institui o Plano Nacional de Cultura, com duração de dez anos, a ser coordenado pelo Ministério da Cultura; estabelece princípios informativos e objetivos do Plano Nacional de Cultura; determina atribuições do Poder Público para implementação e manutenção do Plano Nacional de Cultura; prevê a criação, por lei específica, do Sistema Nacional de Cultura; estabelece formas de adesão dos Estados, Distrito Federal e Municípios às diretrizes e metas do Plano Nacional de Cultura; define meios de financiamento do Plano Nacional de Cultura; institui sistema de monitoramento e avaliação periódica do alcance das diretrizes e eficácias das metas do Plano Nacional de Cultura; cria o Sistema Nacional de Informações e Indicadores Culturais - SNIIC; determina revisão do Plano dentro de 4 (quatro) anos.
Data de apresentação: 07/05/2010
Situação atual:
Local: 
04/11/2010 - Comissão de Educação

Situação: 
04/11/2010 - PRONTA PARA A PAUTA NA COMISSÃO
Outros números:
Origem no Legislativo:
CD  PL.  06835 / 2006
Indexação da matéria:
 
Indexação: APROVAÇÃO, PLANO NACIONAL DE CULTURA, POLÍTICAS PÚBLICAS, CULTURA, CRIAÇÃO, SISTEMA NACIONAL DE CULTURA, DESENVOLVIMENTO, ATIVIDADE CULTURAL, PATRIMÔNIO CULTURAL, BENS CULTURAIS.

Vice da presidenta não é sucessor

Posted by recunha novembro 04, 2010 0 comments

CCJ aprova emenda que retira do vice-presidente
da República condição de sucessor
[Foto: ]
A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) aprovou nesta quarta-feira (3) Proposta de Emenda Constitucional (PEC 32/06) que retira do vice-presidente da República a condição de sucessor em caso de vacância do cargo de presidente, determinando que sejam convocadas novas eleições. O vice ocuparia o posto interinamente até a definição do novo presidente.
De acordo com a proposta, caso a vacância (morte ou renúncia) ocorra nos dois últimos anos do mandato presidencial, o novo ocupante do cargo será eleito pelos deputados e senadores 30 dias depois da abertura da vaga. Se a vacância presidencial se verificar nos primeiros dois anos do mandato, será realizada uma nova eleição direta, com voto popular, em 90 dias.
O texto aprovado pela CCJ é um substitutivo que o senador Demóstenes Torres (DEM-GO), presidente da comissão, apresentou a projeto do senador Arthur Virgílio (PSDB-AM). O projeto original de Virgílio tratava também dos suplentes de senadores, mas a própria CCJ analisou o assunto em outra emenda constitucional, a qual ainda não foi votada pelo plenário. Por isso, a menção aos suplentes de senadores foi retirada por Demóstenes no substitutivo. Para ler mais clique aqui.

O II Seminário Histórias de Roteiristas, Artes e Comunicação na Era dos Roteiristas está com inscrições abertas até dia 8/11/2010.

Local:
Universidade Presbiteriana Mackenzie (SP)
Centro de Comunicação e Letras

Datas:
16 (Workshop Video Digital)
17, 18 e 19 de novembro de 2010
 
Coordenação:
GLÁUCIA DAVINO E FERNANDA BELLICIERI

Biblioteca Digital Mundial

Posted by recunha outubro 31, 2010 0 comments


A Biblioteca Digital Mundial disponibiliza na Internet, gratuitamente e em formato multilíngue, importantes fontes provenientes de países e culturas de todo o mundo. Os principais objetivos da Biblioteca Digital Mundial são:
  • Promover a compreensão internacional e intercultural;
  • Expandir o volume e a variedade de conteúdo cultural na Internet;
  • Fornecer recursos para educadores, acadêmicos e o público em geral;
  • Desenvolver capacidades em instituições parceiras, a fim de reduzir a lacuna digital dentro dos e entre os países.
Este mapa do Brasil é uma obra de Joan Blaeu (1596-1673)
A Biblioteca Digital Mundial possibilita descobrir, estudar e desfrutar de tesouros culturais de todo o mundo em um único lugar, de diversas formas. Estes tesouros culturais incluem - mas não estão limitados a - manuscritos, mapas, livros raros, partituras, gravações, filmes, gravuras, fotografias e desenhos arquitetônicos. Os ítens da Biblioteca Digital Mundial podem ser facilmente pesquisados por lugar, período, tema, tipo de item e instituição contribuinte, ou podem ser localizados por uma pesquisa aberta, em vários idiomas. Características especiais incluem agrupamentos geográficos interativos, cronologia, sistema avançado de visualização de imagens, além de capacidades interpretativas. Descrições relacionadas aos ítens e entrevistas com curadores sobre os ítens apresentados fornecem informações adicionais. O conteúdo encontrado no web site da Biblioteca Digital Mundial é fornecido por parceiros da Biblioteca Digital Mundial. Ao publicar ou, de outra forma, distribuir materiais encontrados em coleções de um parceiro da Biblioteca Digital Mundial, o pesquisador tem a obrigação de determinar e satisfazer direitos autorais nacionais e internacionais ou quaisquer outras restrições de uso. A BDM está destinada a investigadores, professores e alunos, mas a sua importância vai muito mais além.

    Arquivo

    Cultmidiáticos