Educarede Boas Festas

Posted by recunha dezembro 25, 2010 0 comments

Comunique-se

Posted by recunha dezembro 22, 2010 0 comments

A escola é a rede

Uma mensagem a todos os membros de Escola de Redes

Toda pessoa é uma nova porta que se abre para outros mundos.  John Guare em "Six degrees of separation"
Peça de teatro na Broadway (1990) 

Pessoas são portas. Abrem caminhos. Na verdade, são caminhos. Atalhos entre clusters. Pontes. É sempre por
meio de uma pessoa que podemos interagir com quem está em outros mundos.

Isso significa que os interworlds são realmente as pessoas, não um novo ambiente tecnológico, mas um novo
ambiente social com novos recursos tecnológicos. Esta é uma típica
compreensão-fluzz: pessoa não é o
individual e sim o social
. Surpreendentemente, em mundos altamente
conectados as novas internets são... as pessoas!

Não, não é somente uma imagem poética. É uma nova compreensão das potencialidades humanas. Pessoas interagindo são seres humanos. A partir de
certo grau de interatividade, são organismos sociais, quer dizer,
superorganismos humanos.

Quando a tecnologia fornecer os meios para manter as pessoas continuamente conectadas e para acelerar a interação, ela o fará a partir dessa
possibilidade social. Aliás, foi assim que nasceu a velha Internet: como
percebeu Castells, sua estrutura interativa só foi projetada assim porque as
pessoas que a projetaram a projetaram assim. E as pessoas que projetaram a
Internet só a projetaram assim – com possibilidade de interatividade – porque havia
tal possibilidade social. Da mesma forma estão nascendo as novas internets:
seja com o aperfeiçoamento dos dispositivos móveis interativos, seja com
implantes bio-eletrônicos ou cibernéticos, enquanto a topologia da rede for
mais distribuída do que centralizada não produziremos borgs, mas gholas-sociais.

Há sempre um risco. O risco de ser borg. A fronteira entre um borg e um ghola-social é móvel, nebulosa e quase sempre invisível. A hierarquia produz
borgs. As redes humanas distribuídas geram gholas-sociais. Mas a maioria dos
padrões de interação se configura no intervalo entre centralização máxima e
distribuição máxima.

Evitar o risco é refugiar-se na vida individual, escolhendo racionalmente as interações, sendo seletivo nos relacionamentos, fechando-se ao
outro. Esse é o fracasso de todas as chamadas “pessoas de sucesso”. Fecham-se à
interação com o outro-imprevisível e, ao fazer isso, a despeito de serem muito
conhecidas, obstruem conexões com a nuvem que as envolvem, desatalham clusters (ao se recusarem a servir como
pontes), excluem outras pessoas do seu espaço de vida e simultaneamente se
excluem de outros mundos, isolando-se do superorganismo humano e deixando de
contar com uma parte (justamente aquela parte inusitada, que os marqueteiros,
os políticos profissionais e os psicólogos sociais tanto procuram e não
conseguem encontrar) das imensas potencialidades do social.

São raríssimas as pessoas de sucesso que se deixam abordar por qualquer um do povo. Seus endereços, e-mails e telefones são mantidos em sigilo. Seus ambientes de trabalho são
protegidos por porteiros, agentes de segurança, secretários e assessores. Seus
sites e blogs são fechados à comentários ou mediados. Sua participação nas
mídias sociais é sempre para usá-las como broadcast,
para fazer relações públicas e propaganda de si-mesmas (para ficarem mais
famosas e auferirem os benefícios econômicos, sociais e políticos conferidos
diferencialmente a quem alcançou tal condição).

Isso acaba se manifestando no que acreditam que seja sua vida pessoal, como indivíduos, supostamente autônomos, tão importantes que não podem ficar
vulneráveis aos paparazzi do
relacionamento. Como conseqüência começam a desenvolver aquela sociopatia mais
conhecida pelo nome de fama. Na verdade ficam doentes por defict de
interatividade.

Quem não quer ser porta, não acha caminhos. O sucesso é o melhor caminho para perder caminhos. A perda de caminhos é também uma medida de
não-rede, ou seja, uma expressão do poder. A contraparte de querer ser muito
importante é a falta de importância para a rede (e não importa para nada se
essas pessoas de sucesso têm milhares ou milhões de followers nas mídias sociais mais freqüentadas ou se seu blog tem
milhares ou milhões de pageviews).

E o risco? Bem, nos Highly Connected Worlds a pessoa é compelida a correr o risco, a fluir com o
curso. Não pode se proteger, se sedentarizar em seu mundo, se agarrar às coisas
para tentar permanecer como é ou a ser mais-do-mesmo (do que já é) em vez de
surfar nos interworlds, navegar, ser
nômade, fluzz.

“Se não posso achar o caminho farei um”, escreveu Sêneca. Nos novos mundos-fluzz, seria o caso de dizer: como
não há caminho, serei um (uma porta para outros mundos).

Esta é a minha mensagem de um feliz ano novo para você, conectado(a) à Escola-de-Redes. Que 2011 seja um ano mais-fluzz para todos nós.

Um grande abraço do

Listinha de Natal

Posted by recunha dezembro 21, 2010 0 comments

Fonte: SK
Chegou o Natal, de novo. Hora de arrumar um tempinho na agenda apertada da vida, para comprar aquele presente apenas uma pessoa especial, ou para uma lista infindável de... Você, sem tempo para nada, gostaria de ter uma ideia genial, ou encontrar o "presente perfeito", mas todo ano é o mesmo desafio. Para ajudar os internautas o site "Comida para o Cérebro" preparou uma lista de sugestões (interessantes segundo eles - há controvérsias). Confira para ver o que você acha:
Coisas para ler
1.
Um certificado de presente para a compra de CSHLP Cold Spring Harbor Labs Press romances, manuais técnicos e livros. No nosso caso, um certificado da Asa Branca, ou da Cooperativa da UFRN, quem sabe?
2. Assinatura de revista é um presentão (na opinião deles) e que continua a render dividendos durante todo o ano! Escolha assinaturas de revistas relacionadas com a ciência, como Scientific American, Smithsonian, Wired. Você quer? Caros Amigos, Piauí?
3. Kindle Wireless Reading Device torna a leitura de todos os documentos importantes e romances mais fácil, tem capacidade para 1500 livros e pode ser lido por até uma semana com uma única carga. Por isso, eles acreditam que é um presente perfeito para alguém que sempre está carregando um montão de papéis ou livros. Naturalmente, este item é muito caro por isso talvez seja melhor como um presente do grupo ou talvez um belo presente para a outra pessoa significativa em sua vida. Esqueça. Não tem tanto livro assim, em português. Só se você for expert in English.Coisas para vestir
4. Não dá para errar quando você dá uma camiseta de presente. Confira alguns destes divertidos e interessantes t-shirts em everydayheroshirts.com. Eles precisam ir até Pipa ver as tee-shirts que têm lá. Engraçadissimas. Mas a minha preferida neste ano foi a da Civone do Flipaut.
5. Se você está procurando um presente para quem gosta de se destacar na multidão, eles sugerem casacos feito sob encomenda de pele de leopardo ou de pele de rato de laboratório. (Nossaaaaa! Cadê a pele de melancia?!)

Coisas para deixar seu escritório com cara de lugar inteligente
6. Que tal uma seleção legal de posters inspirados em Einstein. Os cartazes são uma ótima maneira para embelezar seu escritório ou laboratório e por que não utilizar a genialidade científica! (Acho que a língua do Einstein está mais "manjada" do que a língua ensopada do Mangai).
7. Que tal uma planta? Eles contam que tinham um colega de trabalho cujo presente favorito era uma planta. "Nada ilumina seu escritório ou laboratório ou a sala de sua secretária, como um vaso de plantas e elas duram para sempre (ou, pelo menos, enquanto você cuida delas)." Ecochatodegalocha merece uma plantacarnívora.
Coisas legais geeky
8. Para os amigos colecionadores, a dica é: dê fósseis de presente. Confira a seleção de fósseis da Fossil Mall. Os preços são variados, mas não são caros, e você pode ter a certeza de ser apreciado por qualquer pessoa interessada em arqueologia e na vida pré-histórica. Sabe que eu gosto dessas coisas? Tinha um programa que eu fazia com prof. Valdeci dos Santos, da UERN lá na TCM que se chamava Arqueologia Potiguar. Muito legal.
9. Outro presente incomum é o pedaço de Meteorito do Instituto de Ciência dos EUA. Esse negócio de comprar pedaço da lua é tão antigo que nem sei se cola mais, e estrela no céu? Tem gente que compra o certificado e jura que é verdade, que é dono do negócio. Contodovigário.
10. Para os amigos internacionais ou pessoas que viajam, eles sugerem protetores de passaporte e maletas para notebooks

Experiências
11. Se você tem 5000 dólares para gastar, o presente poderia ser um vôo de gravidade zero. Eles dizem que pode ser caro, mas você pode acalmar sua consciência porque tem um chaveirinho Gravidade-Zero incluído no preço. Esse vôo eu quero fazer, e vou.
12. Seu amigo quer ser um escritor, mas nunca teve uma oportunidade? O blog oferece uma experiência absolutamente "free" e com a possibilidade de seu artigo ser lido por dezenas de milhares de cientistas nos próximos anos. Ah! mas tem que ser em inglês. Se você ainda não está craque, pode começar a treinar agora para o Natal do ano que vem!

Comida e bebida
13. Comida é sempre um bom presente para qualquer estudante de pós-graduação ou quem sabe vales-bebidas daquele barzinho preferido da turma?
14. Ou se o seu homenageado é um viciado em cafeína, ofereça para pagar o café por um mês? Sem comentários...
Tempo - nem todo presente tem que custar uma grana preta

15. Para aqueles amigos que têm uma vida familiar agitada, você pode se oferecer para cozinhar para eles, ou tomar conta das crianças enquanto eles saem para namorar. Quem não iria adorar um presente destes? (Eu preciso de uma faxineira, por favor!)
16. Ou para as pessoas que são sozinhas, cujas famílias moram longe, você pode se oferecer para cuidar dos projetos delas ou digitar algum trabalho/paper/artigo.

Presentes para os outros
17. Uma opção para presente para aquela pessoa que já tem tudo é comprar um presente de caridade no nome dela. Se você (ou eles) preferem doar para a Oxfam, a WWF ou algo completamente diferente, uma rápida pesquisa no Google.com vai ajudar você a encontrar o lugar certo para fazer sua doação. (Quem quiser posso oferecer minha conta bancária e você poderá apoiar minha pesquisa sobre o audiovisual potiguar).
18. E por último eles mencionam a campanha do Toys for Tots. Faça uma doação para comprar um presente para uma criança carente. Versão potiguar: Passe no correio de seu bairro, adote uma cartinha, e dê um presente para uma criança pobre de sua cidade.
Estas são as ideias da jornalista Suzanne Kennedy. E as suas?

Fonte: Portal Intercom
No último Café Intercom realizado em Fortaleza (CE), no dia 8 de dezembro no auditório da Livraria Cultura , os autores Maria Érica de Oliveira Lima, Valquíria Aparecida Passos Kneipp e Alberto Magno Perdigão lançaram os livros: Mídia Regional: Indústria, mercado e cultura; 60 anos de telejornalismo no Brasil - história, análise e crítica; e Comunicação Pública e TV Digital – interatividade ou imperatividade na TV Pública. Antes do lançamento dos livros houve uma apresentação das obras pelos autores. A mesa foi coordenada pela diretora do Centro de Ciências Humanas da Unifor, Erotilde Honório.


Feliz Natal

Posted by recunha dezembro 20, 2010 0 comments

Feliz Voluntariado em 2011

Posted by recunha dezembro 19, 2010 0 comments

    Arquivo

    Cultmidiáticos