Buena Memoria - Brodsky

Posted by recunha fevereiro 02, 2011 0 comments

 Prorrogada até 6 de março a exposição Buena Memoria, um ensaio fotográfico de Marcelo Brodsky. A Mostra está em cartaz no Memorial da Resistência de São Paulo.   
O Memorial da Resistência de São Paulo apresenta a exposição Buena Memoria, um ensaio fotográfico de Marcelo Brodsky, com cerca de 70 fotografias e dois vídeos, Ponte da Memoria e Brincando de morrer, realizadas a partir de 1960, com imagens que pertencem ao acervo da família Brodsky.  (fotos de infância). São fotos de sua família e amigos, de sua infância e do Parque da Memória, local construído para lembrar as pessoas seqüestradas e desaparecidas durante a ditadura militar argentina.  A mostra traz ao público um recorte da história que é comum a diversos países da America Latina, que conheceram de perto o terrorismo de Estado nos anos 1960 a 1980, deixando como saldo de presos, torturados, mortos e desaparecidos.
Marcelo Brodsky tornou-se fotógrafo durante seu exílio em Barcelona, na década de 1980.  Ao regressar à Argentina nos anos 1990, começou a revisar fotos de familiares e de colegas de sua juventude. Foi quando encontrou um retrato da sua classe do primeiro colegial, tirada em 1967, e sentiu a necessidade de saber o que aconteceu com cada um. “Depois de 25 anos reencontrei meus colegas de classe e propus tirar uma foto de cada um, com elementos de sua vida atual, usando como fundo a foto de 1967... Depois de vinte anos, as autoridades do Colégio aceitaram pela primeira vez que nos lembrássemos daqueles que desapareceram ou foram assassinados pelo terrorismo de Estado durante os anos negros da ditadura” comenta Brodsky.  
Memorial da Resistência
Lgo. General Osório, 66 Tel. +55 11 3335-4990 São Paulo - SP

Fonte: SPB
A prefeitura de Guarulhos lançou durante a VII Conferência Latinoware o software Provinha Brasil. A solução, criada em consonância com os objetivos do Plano de Desenvolvimento da Educação-PDE do MEC, oferece uma avaliação diagnóstica aplicada aos alunos matriculados no 2º Ano do Ensino Fundamental.

A solução auxilia professores e gestores escolares, pois atua como um instrumento de análise do nível de alfabetização dos alunos, permitindo a correção e reorientação da aprendizagem em leitura e escrita, melhorando a qualidade da alfabetização e do letramento inicial oferecido às crianças. Essa avaliação diferencia-se das demais que vêm sendo aplicadas ultimamente, pois se trata de um instrumento pedagógico sem finalidades classificatórias.


Para os cadastrados no Portal SPB basta acessar a comunidade diretamente pelo endereço

http://www.softwarepublico.gov.br/ver-comunidade?community_id=25956481


Em Guarulhos, a aplicação da Provinha Brasil ocorre desde 2008. No primeiro ano de aplicação, as escolas enviaram os gabaritos dos testes do primeiro e segundo semestres para a Secretaria de Educação. Após o trabalho de alguns meses, essas respostas foram inseridas em um banco de dados e iniciou-se um processo de confecção de relatórios com esses dados.


Em 2009 houve uma melhoria nítida no processo de aplicação da Provinha. Tal avanço foi nitidamente percebido pela rede, pois o relatório da primeira fase do teste de 2009 foi entregue às escolas junto com o relatório dos dois testes de 2008. Esse progresso no tempo de confecção dos relatórios ocorreu porque a Prefeitura de Guarulhos, por meio da Secretaria de Educação, desenvolveu um Sistema on-line para inserção e armazenamento das respostas da Provinha.


A Secretaria de Educação organizou o desenvolvimento do software e ainda se responsabilizou pelo suporte, manutenção, atualização e aprimoramento contínuo do mesmo. A equipe escolar ficou responsável pela inserção das respostas de cada aluno e das observações descritivas dos educadores que acompanham esses alunos no processo ensino-aprendizagem.


Dessa forma, o sistema Provinha Brasil facilitou o tratamento dos dados, viabilizando a produção de relatórios que, ao subsidiar ações pedagógicas, são capazes de unir a Secretaria de Educação, a Equipe Escolar, os pais e alunos, no objetivo maior de buscar a qualidade da educação fundamental.

imageA Associação Brasileira de Desenvolvimento Industrial disponibiza online (clique no link para leitura e download) o Caderno Temático TIC 2 – TV Digital Interativa - Refere-se ao serviço de radiodifusão televisiva, TV a Cabo, IPTV ou por qualquer outro meio de transmissão, de conteúdo digital com aplicações interativas, sejam elas relacionadas à própria programação, sejam relacionadas a diferentes tipos de serviços, como e-governo, bancos, comércio, jogos, etc.



Muniz Sodré e o Jornalismo na BJR

Posted by recunha janeiro 31, 2011 0 comments

Brazilian Journalism Research (BJR) é um periódico científico semestral publicado pela Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo (SBPJor). Para mais informações sobre a SBPJor, visite nosso site (www.sbpjor.org.br). A associação é dedicada à teoria e à pesquisa sobre jornalismo (tanto o trabalho teórico, quanto o empírico). A revista é editada em inglês e português. As edições anteriores da Brazilian Journalism Research podem ser acessadas em http://www.sbpjor.org.br/ojs/.

Esta revista oferece acesso livre imediato ao seu conteúdo. Periodicidade - Semestral

Diretor - Carlos Franciscato, Universidade Federal de Sergipe, Brasil

 

Editorial

OLHARES MÚLTIPLOS, DIÁLOGOS POSSÍVEIS PDF
Beatriz Becker, Fernando Resende, Tattiana Teixeira

Dossiê: DESAFIOS E DIVERSIDADES DA PESQUISA EM JORNALISMO: interdisciplinaridade e transdisciplinaridade

JORNALISMO COMO CAMPO DE PESQUISA PDF
Muniz Sodré
O CONHECIMENTO DO JORNALISMO NO CÍRCULO HERMENÊUTICO PDF
Christa Berger
O JORNALISMO E A CULTURA DA ALTERIDADE PDF
Stuart Allan

Artigos

MEMÓRIA E REPRESENTAÇÃO DO JORNALISMO BRASILEIRO: o caso do selo postal PDF
Diego Andres Salcedo, Adriana Maria Andrade de Santana
O BLOG DA PETROBRAS E O JORNALISMO: de que aspectos éticos estamos falando? PDF
Edson Fernando Dalmonte
NOTAS PARA UMA ECONOMIA POLÍTICA DO RADIOJORNALISMO PDF
Marcelo Kischinhevsky
ETNOGRAFIA DA PRODUÇÃO JORNALÍSTICA – ESTUDOS DE CASO DA IMPRENSA BRASILEIRA PDF
Isabel Travancas
FOTOJORNALISMO COLABORATIVO EM TEMPO DE CONVERGÊNCIA PDF
José Afonso da Silva Jr., Eduardo Queiroga
IMPACTO VISUAL NA IMPRENSA DIGITAL: uma pesquisa espanhola empírica PDF
Joan Francesc Fondevila Gascón

MinC : Da Tropicalia à Bossa Nova


Desde a indicaçao do nome de Ana de Hollanda para o Ministério da Cultura, há na Internet um intenso debate sobre os rumos da politica cultural do pais. Em duas semanas de gestao, a nova Ministra e sua equipe geraram rumores que, na opinião de muitos, é um recado.
A retirada da licença CreativeCommons do site do MinC, o cancelamento de diversas reunioes com agentes da sociedade civil (especialmente aqueles ligados ao debate sobre os direitos autorais), boatos sobre a nomeaçao do advogado Hildebrando Pontes para o cargo de diretor de Direitos Intelectuais, as estranhas mensagens de esclarecimento do Ecad recebida por aqueles que publicaram a carta aberta para a ministra em seus blogs e sites, sao alguns exemplos – praticos e simbolicos – de novas pressões que vem surgindo nesse cenário, apontado por ativistas do Software e da Cultura Livre como uma mudança de direcionamento desta nova gestao. Além disso, para alguns especialistas na área de políticas culturais, estes sinais evidenciaria  a descontinuidade de certas politicas com as quais se comprometeu a presidente eleita – algumas inclusive decretadas em lei ainda na gestao Lula, como o Plano Nacional de Cultura.
Nestes ultimos oito anos a sociedade civil estabeleceu uma relaçao de dialogo e parceria com o Ministério da Cultura, o que permitiu a potencializaçao de milhares de atividades e agentes culturais em todo o pais, e a projeçao do Brasil no cenario internacional.
Com o objetivo de fazer um balanço do movimento em torno da Cultura Digital brasileira, será realizado na proxima segunda-feira (31) uma reuniao presencial e virtual, concreta, mas descentralizada, para articular as açoes para este novo periodo.
Participe :
Quando ?
Segunda-feira 31/01 – 18h

Onde ?

No link http://www.pontaodaeco.org/aovivo,  através de chat (browser) e áudio (skype) e no twitter através da hashtag #dalicencaminc
No Rio:
Pontão da ECO (Av. Pasteur 250 – Praia Vermelha)
Em São Paulo:
Casa da Cultura Digital (Rua Vitorino Carmilo, 459 – Santa Ceclia – Sao Paulo / prox ao Metrô Marechal Deodoro)

    Arquivo

    Cultmidiáticos