Correção da Prova do Enem pela TV

Posted by recunha novembro 28, 2009 0 comments

Fonte ABEPEC:

A TV Brasil, a Thathi TV (Ribeirão Preto) e o Sistema COC, por meio de uma parceria firmada entre as instituições, realizam a correção da Prova do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), com transmissão para todo o Brasil, nos dias 5 e 6 de dezembro, a partir das 23h15.


A parceria foi firmada em duas etapas. Primeiramente, entre a Thathi TV e o COC para assessoria dos professores na correção e, depois, entre a Thathi TV, responsável pela produção, e a TV Brasil, responsável pela transmissão nacional.


Dicas para o Enem


A partir da próxima segunda-feira, 30, a TV Brasil também exibe dicas para a prova do Enem. As orientações serão elaboradas por cerca de 30 professores do Sistema COC e produzidas pela Thathi TV. Os estudantes poderão acompanhar as dicas para Enem ao longo da programação da TV Brasil, até o dia 5 de dezembro.

Lins da Silva

Posted by recunha novembro 26, 2009 0 comments

No próximo dia primeiro de dezembro, terça-feira, a partir das 19 horas, o programa de Pós-Graduação em Estudos da Mídia da UFRN Universidade Federal do Rio Grande do Norte apresenta a palestra sobre Mídia e Sociedade, com o jornalista Carlos Eduardo Lins da Silva, ombudsman da Folha de SP. O local da palestra será o auditório da Escola de Música da UFRN.


Natural de Santos, Lins da Silva começou na profissão como repórter, aos 18 anos, nos jornais "Diário da Noite" e "Diário de S.Paulo". Passou por outros jornais e revistas até ser contratado pela Folha, em 1984. No jornal, foi repórter, redator, editor, secretário de Redação, diretor-adjunto de Redação e correspondente em Washington. Saiu para ajudar a fundar o jornal "Valor Econômico" (parceria entre a Folha e as Organizações Globo), do qual foi diretor-adjunto de 1999 a 2004. Foi também diretor de relações institucionais da Patri Relações Governamentais & Políticas Públicas. Ao lado da atividade jornalística, manteve intensa vida acadêmica. É mestre em comunicação pela Michigan State University e doutor e livre-docente em comunicação pela Universidade de São Paulo. Lecionou em universidades no Brasil e nos EUA e é autor de dez livros, entre eles "Muito Além do Jardim Botânico", sobre a audiência do "Jornal Nacional" entre trabalhadores, "Mil Dias: os Bastidores da Revolução de um Grande Jornal" e "O Adiantado da Hora: A Influência Americana Sobre o Jornalismo Brasileiro".


Blog LBMG

Posted by recunha 0 comments



O Laboratório de Biologia Molecular e Genômica, vinculado ao Departamento de Biologia Celular e Genética, do Centro de Biociências da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, acaba de lançar um blog para interagir com o público em geral. 

O Blog LBMG é um espaço criado para compartilhar informações e conhecimento científico não somente entre professores e alunos, mas também com outras instituições de ensino e toda comunidade interessada. Há seções destinadas a notícias, eventos, entrevistas com pesquisadores, enquetes, informações didáticas, ente outros. 

O LBMG é coordenado pelas professoras doutoras Lucymara Fassarella Agnez-Lima e Sílvia Regina Batistuzzo de Medeiros e reúne hoje cerca de 70 alunos, entre graduação, mestrado e doutorado, que são responsáveis pelos conteúdos publicados. O blog foi desenvolvido pela jornalista Luciane Agnez, mestranda do Programa de Pós-graduação em Estudos da Mídia da UFRN.


A Sombra

Posted by Elvira Pereira novembro 25, 2009 0 comments

Vivemos à sombra dos nossos medos cultivando uma arrogância contra essa sombra indefesa e triste que é o seu eu. Para ler outros artigos e textos, clique no site da autora Elvira Pereira de Araújo.

Nesta quinta, 26 de novembro de 2009, a partir das 15 horas, a prof. Graça Pinto estará debatendo com os alunos da disciplina Mídia e Práticas Sociais do PPGEM Programa de Pós-Graduação em Estudos da Mídia da UFRN Universidade Federal do Rio Grande do Norte, o texto do cap. 3 do livro Diferentes, Desiguais e Desconectados Mapas da Interculturalidade de Néstor Garcia Canclini.









O Núcleo Aurora/Consulta Popular fará uma sessão premiére do documentário dirigido por Federico Vázquez, "Autofagia Midiática: É isso ou o quê?", no dia 3 de dezembro às 7 da noite na Ação Educativa, Rua General Jardim, 660, telefone (11) 3151-2333, em São Paulo. Após a exibição haverá um debate sobre Comunicação e Lutas Populares com a participação de Altamiro Borges e Paulo Salvador.


No dia 9 de dezembro às 7 e meia da noite Federico Vázquez fará uma exibição especial ao público do interior do estado de São Paulo na cidade de Campinas, na Casa de Cultura Tainã, na Rua dos Inhambus, Vila Padre Manuel da Nóbrega, Campinas, SP. E como um presente de Natal antecipado o MIS Museu da Imagem e do Som de Campinas exibe o documentário Autofagia Midiática no dia 16 de dezembro, às 7 e meia da noite. MIS Campinas: Palácio dos Azulejos, Rua Regente Feijó, 859, Campinas, SP.

Federico Vázquez vem produzindo o documentário há cinco anos. O material reúne entrevistas, participação em debates sobre comunicação nos encontros e plenárias do movimento pela democratização da comunicação e na Assembléia Popular. Alguns dos entrevistados são Alípio Freire, integrantes da equipe do jornal ABCD, participantes do grupo de Teatro Treta, Renato Tapajós, Olga Futema, Sérgio Amadeu, Ricardo Gebrim, Pablo Ortellado, João Brant, Bia Barbosa, Jussara Zottis e Antonio Carlos TC. 

A produção foi feita na Fábrica de Música da Casa de Cultura Tainã, com software livre, e segundo Fred o documentário é o "resultado do questionamento sobre a comunicação - se estratégia ou alegoria - para os movimentos sociais e populares". Mais informações no site Linguagem Digital, pelo email fred[@]linguagemdigital.net, ou pelo telefone (11) 94341072.


Novo Lattes

Posted by recunha novembro 24, 2009 0 comments

Fonte CNPq

CNPq vem buscando aperfeiçoar essa ferramenta que já é conhecida por todos os pesquisadores brasileiros e se tornou um patrimônio da comunidade científica. Os últimos avanços estão sendo incorporados a essa nova versão que inclui a possibilidade de consulta às citações dos artigos publicados em revistas indexadas no Web of Science e que estejam registradas nos currículos com o DOI (Digital Object Identifier- um identificador digital único) correspondente. Para que isso fosse possível um acordo com a empresa Thomson&Reuters, administradora do Instituto para a Informação Científica (ISI), foi firmado há dois meses pela diretoria do CNPq. A base Web of Science é a mais relevante do mundo, cobrindo mais de 10 mil periódicos científicos desde 1954. Também foi firmado acordo com o Scielo, uma base com mais de 230 mil artigos registrados, que permitirá a recuperação das citações dos artigos registrados no Lattes. A base Scielo conta, atualmente, com mais de 600 periódicos científicos cadastrados.


Outra novidade é o acordo com a Receita Federal que permite a certificação dos dados da pessoa que se registra na base Lattes e deve impedir a introdução de currículos fantasmas. Além de conferir os dados no momento em que o currículo é criado, o CNPq já está fazendo uma varredura dos currículos já depositados na base Lattes para depurar os dados. O processo está se iniciando pelo segmento dos doutores.

Para o professor Roberto Passetto Falcão, presidente da Comissão de Acompanhamento do Sistema de Currículos da Plataforma Lattes, a incorporação dos dados do ISI ao CVLattes acrescentará informações extremamente importantes para os usuários da Plataforma Lattes e para a comunidade científica. “A qualidade de um trabalho científico é avaliado indiretamente pelo periódico onde ele é publicado e pelo número de citações do artigo por outros cientistas que atuam na área do conhecimento do trabalho publicado. Este acordo com o ISI permitirá que estes aspectos estejam disponíveis quando se analisa o CV Lattes”, disse ele. Da mesma forma pensa o professor Antonio Martins Figueiredo Neto, membro da Comissão: “os acordos firmados aprimoram o CV Lattes de maneira profunda, dando tanto maior credibilidade quanto novos instrumentos de análise da produção científica ao usuário”. Figueiredo acredita que fraudes serão praticamente impossíveis com o novo sistema de certificação e só aumentará a credibilidade da ferramenta. “Além disso, o CV Lattes passará a ter uma inserção internacional quando parcela significativa dos currículos estiver disponível em Inglês. Esse trabalho vai auxiliar as entidades de fomento e governamentais do exterior a ter uma visão mais realista da comunidade científica brasileira”, finalizou.


O coordenador geral de Informática do CNPq e também membro da Comissão de Acompanhamento do Lattes, Geraldo Sorte, informou que outra funcionalidade interessante é a Rede de Colaboração, em que será possível visualizar graficamente a rede de co-autores de um pesquisador que tenham também o Currículo Lattes. “Esta rede é composta pelos outros pesquisadores que trabalharam em conjunto com o pesquisador em questão em co-autoria de artigos científicos”, esclareceu.


Sorte disse que outras modificações deverão ocorrer nos próximos meses no currículo, tais como acréscimos de campos e do módulo “Patentes e Registros”, alterações no layout e de navegabilidade, implementos de apoio ao usuário e alterações de ordem técnica, bem como detalhamento e validação de dados para maior segurança.



Sobre o Lattes


A Plataforma Lattes representa a experiência do CNPq na integração de bases de dados de currículos e de instituições da área de ciência e tecnologia em um único Sistema de Informações, cuja importância atual se estende, não só às atividades operacionais de fomento do CNPq, como também às ações de fomento de outras agências federais e estaduais.


Criada em 1999, contém, atualmente, mais de 1,5 milhão de currículos. Desse total, 120 mil, ou 8%, são currículos de pessoas com doutorado. Estão disponíveis informações relativas à educação formal, experiência profissional, áreas de pesquisa, projetos e linhas de pesquisa, artigos em periódicos, livros e capítulos publicados, produtos e patentes, produções artísticas e culturais, entre outras.




As informações do Currículo Lattes têm sido utilizadas por todas as agências de fomento, universidades e institutos e centros de pesquisas do Brasil para avaliar as propostas de financiamento para projetos de pesquisa. O banco de dados também é utilizado por estudantes para selecionar orientadores, assim como as instituições também a consultam para contratar consultores científicos ou assessores. Mais informações clique aqui.







Voluntários que mantém a Wikipédia estão desistindo da tarefa, e segundo o The Wall Street Journal o abandono acontece em massa, por causa do stress que é manter voluntariamente a 'free' enciclopédia online, e principalmente por causa da crise financeira nos Estados Unidos que deixou muita gente desempregada. Segundo o jornal o site perdeu cerca de 49.000 editores durante os primeiros três meses deste ano, 10 vezes mais do que no mesmo período no ano passado. A Wikipédia, entretando garantiu ao jornal que ainda tem voluntários em número suficiente para realizar o trabalho de manutenção. Esta queda no entusiasmo dos editores pode levar a Wikipédia a apresentar erros ou distorções (algumas até deliberadas inseridas por manipuladores da informação), como no caso de Stephen Colbert que criou a wikialidade (a realidade do wikipédia) a teoria de que quanto mais pessoas acreditarem numa mentira, ela acaba virando realidade.


Muitos usuários do Wikipédia parecem não saber se a informação que recebem é errada ou tendenciosa. Eles simplesmente aceitam a informação sem checar outras fontes. O Wikipédia recebe cerca de 325 milhões de visitantes por mês, sendo o quinto site mais visitado da web. Veja a notícia completa no site do Daily Finance.



O Twitter disponibilizou (em fase BETA) a ferramenta retweet em uma nova versão (por enquanto apenas para alguns usuários, entre eles o CultMídia).

As novidades incluem um novo símbolo para identificação, ao invés das letras RT, e ver os retweets apenas daqueles que você está seguindo. 

O texto enviado para os usuários que vão testar a ferramenta dizia o seguinte: "Hi there, you're part of a beta group receiving this feature, which means you may start seeing retweets in a new way. People who don't have this yet will see your retweets prefaced by RT."

    Arquivo

    Cultmidiáticos