Da Idade Mítica à Idade Mídia

Posted by recunha setembro 15, 2016 0 comments

Colégio de Brasilianistas da Comunicação: imaginário coletivo da nossa sociedade, da Idade Mítica à Idade Mídia

Mirna Tonus (UFU), Elza de Oliveira Filha (UFTPR) e Sérgio Mattos (UFRB). Por: Regina Cunha
Regina Cunha*

A cada ano a INTERCOM surpreende cada vez mais os associados, bem como aqueles que participam do Congresso Anual pela primeira vez. Em 2016, o Pré-Congresso foi realizado do dia 1º ao dia 6 de setembro reunindo centenas de pesquisadores de diversas instituições acadêmicas do Brasil e de vários países. Além do Colóquio Latino-Americano de Ciências da Comunicação, outro evento que mobilizou a atenção dos estudiosos foi o III Encontro Internacional do Colégio de Brasilianistas da Comunicação que aconteceu nas sedes paulistanas da INTERCOM, em Pinheiros e Brigadeiro. As bases teóricas e metodológicas que estruturam as inúmeras investigações científicas do campo comunicacional foram apresentadas e debatidas através das histórias de vida e obra dos principais autores científicos, artistas e profissionais que mais se destacaram no estudo, na divulgação e no fortalecimento do conhecimento sobre o Brasil.
A ideia de estudar os brasilianistas comunicacionais é do professor doutor José Marques de Melo, incansável pesquisador do campo da comunicação em todas as suas inter e transversalidades. A proposta amplia-se a cada encontro, e já conta com um site na web, o Portal Mutirão do Brasileirismo Comunicacional, uma parceria entre a Cátedra UNESCO/Metodista de Comunicação para o Desenvolvimento Regional e a INTERCOM.  Na verdade trata-se de uma verdadeira torre de babel como define o próprio professor Marques de Melo: “Trata-se  o presente “Portal” de  aventura  intelectual que me tem fascinado desde os tempos de estudante de graduação, quando tive  consciência da Babel terminológica em que estava me embrenhando, numa  área  cognitiva em processo de constituição.”
Quem poderia imaginar um debate onde estariam lado a lado Edgar Morin e Décio Pignatari? Ou Dom Pedro II e Leonel Brizola? Ou ainda Carmen Miranda com suas bananas e balangandãs ao lado do cantor gaúcho Teixeirinha? Pois são os perfis bio-bibliográficos de brasileiros e estrangeiros que através de uma perspectiva histórica e cultural ajudam a compreender “o imaginário coletivo da nossa sociedade, da Idade Mítica à Idade Mídia”, explica Marques de Melo.
Quem apresentou a vida e o pensamento de Edgar Morin foi o professor  Giovandro Ferreira, da Universidade Federal da Bahia, e Décio Pignatari foi apresentado pela professora  Elza Aparecida de Oliveira Filha, da Universidade Federal Tecnológica do Paraná. O tema da mesa  “Histórias de Vida e Ideias Configurantes do Pensamento Comunicacional  Contemporâneo”  contou, também, com as participações da professora  Mirna Tonus, da Universidade Federal de Uberlândia, apresentando o trabalho de Hugo Asmann; o professor Sérgio  Mattos, da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, apresentou Emile McAnany; e a professora  Ana Regina Rego, da Universidade Federal do Piauí, premiada como Liderança Emergente pelo INTERCOM 2016, que apresentou a vida e a obra de Manuel Parés i Maicas. Mas não se tratava apenas de apresentar, e sim, de  debater os conceitos teóricos, as perspectivas metodológicas, as contribuições científicas e pessoais, com o objetivo de registrar e compartilhar com os pesquisadores luso-ibero-latino-americanos esse imenso universo plural, científico, criativo e abrangente. Essa mesa, em especial, contou com a ativa participação do professor Antonio Hohlfeldt, da Pontíficia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, que sugeriu aos palestrantes ampliar a contribuição, traduzindo e publicando as obras de autores como McAnany e Parés, ainda pouco conhecidos no Brasil.
Pensar e escrever o Brasil em pleno século XXI, através do pensamento comunicacional dos brasileiros e estrangeiros de todas as idades que se dedicam a estudar o país, a sociedade, a história, a arte, a ciência, a cultura, é tarefa fundamental, porque é através do conhecimento desse importante legado que surgem as linhas que compõem o traçado cartográfico do território brasilianista da comunicação.

*Pós-graduanda do Programa de Pós- Graduação de Ciências de Comunicação - PPGCOM

Artigo originalmente publicado no Portal USP e no Portal Metodista 

O que torna Vancouver atrativa para os estudantes?
Saiba o porquê da popularidade de British Columbia no Canadá como destino educacional.


Vancouver, no Canadá recebe milhões de visitantes todos os anos. A maioria, apenas para desfrutar de poucos dias de férias, mas cada vez mais parte destas pessoas acaba se apaixonando pela cidade e decide ficar um pouco mais. Os dados estatísticos oficiais comprovam. No ano passado, mais de meio milhão de estudantes de todas as partes do mundo, além dos milhares de jovens canadenses de outras cidades se inscreveram em cursos de formação superior em cerca de 500 instituições particulares e privadas de Vancouver. Um terço de todos os estudantes internacionais do Canadá vive hoje na Bristish Columbia.

Para saber mais veja a reportagem de Ricardo Abravanel em Vancouver Updates.


Artigo originalmente publicado no Portal Imprensa em 8/4/16

Opinião: Artífices do Porvir, por José Marques de Melo

Marques de Melo na sede do Intercom em SP                          foto @cultmidia 2015
Confesso que vacilei, antes de aceitar o convite de Fernando Haddad, então ministro titular da pasta da Educação, para presidir a comissão encarregada de elaborar as diretrizes curriculares para os cursos de jornalismo, que deixavam de ser habilitação do polivalente curso de comunicação social. Minha relutância decorria da polarização existente na categoria profissional dos jornalistas.

Num extremo, perfilavam os “anacrônicos”, advogando uma formação evolutiva, ancorada no passado mítico da nossa profissão. No outro, estavam os “modernosos”, fissurados no “aqui e agora”, ignorando os processos. Um contingente relativizando a história configurada e o outro desdenhando a história em movimento. Enquanto refletia sobre o argumento usado pelo ministro, que enaltecia o papel crucial do jornalismo no fortalecimento da nossa episódica democracia, passei a limpo minha própria experiência.

Recordo que me engajei no curso de jornalismo, em 1961, seduzido pelas oportunidades cognitivas que o currículo da Universidade Católica de Pernambuco me oferecia no terreno historiográfico.Aquilo que meus colegas de classe julgavam exagerado eu considerava insuficiente, buscando fontes complementares para suprir o que desconhecia. 

Segundo o programa de ensino, devíamos começar pela História Antiga (fincando os pés no mundo greco-romano) e percorrer as veredas das formações sociais europeias (História Medieval) para só então percorrer o fascinante universo das sociedades que nos formaram culturalmente (História Moderna e Contemporânea). Nosso currículo, em grande parte circunscrito ao espaço euro-latino, sonegava informações sobre as sociedades orientais, o mundo afro-asiático e o continente americano, inclusive o Brasil.

Em compensação, estudamos a história da Igreja Católica, avançando pela história das encíclicas papais, especialmente a Rerum Novarum de Leão XIII, e os Decretos Pontifícios, em particular, Miranda Prorsus de Pio XII e Inter Mirifica de Paulo VI. Mas o grande ausente do nosso aprendizado foi a história do jornalismo. O conteúdo sobre o desenvolvimento da imprensa ficou restrito às controvérsias sobre os primeiros produtos da imprensa pernambucana.

Os tempos mudaram, porém cresceu o déficit historiográfico nas escolas de jornalismo. Ao pesquisar o conteúdo das disciplinas incluídas nas grades curriculares de algumas universidades, para avaliar a aplicação das novas DCN, fico estarrecido com o desprezo de jovens professores pelas questões holísticas, favorecendo um tipo de formação tecnocrática. Ignorando o contexto das notícias, cultivam um ambiente artificialmente contemporâneo. 

Desta maneira, os jornalistas de hoje deixam de ser artífices do porvir. Ignorando o enraizamento das narrativas do presente em fatos que motivaram as manchetes do passado, desdenham a oportunidade de figurar como “testemunhas oculares da história”!

Literacia Cultural

Posted by recunha abril 12, 2015 0 comments


De 16 a 18 de abril de 2015, o Instituto de Ciências Humanas Birkbeck, da Universidade de Londres, no Reino Unido, sediará o evento "Cultural Literacy" (Literacia Cultural), o primeiro de uma série de conferências bienais sobre o tema. Este encontro internacional reunirá pesquisadores dos estudos culturais e literários de universidades e organizações de todo o mundo, bem como os formuladores de políticas culturais. A conferência é o primeiro passo para a implementação das recomendações de um projecto de Literacia Cultural na Europa, e marca a inauguração do Fórum Europeu sobre Literacia Cultural.

A conferência de 2015 abrange dois aspectos: 
  1. Debate acadêmico sobre quatro campos estudos culturais e literários (Memória Cultural; Migração e Tradução; Textualidade Eletrônica; Biopolítica, Biossocialidade e o Corpo); e 
  2. Discussão estratégica envolvendo acadêmicos, juntamente com os responsáveis políticos e financiadores convidados. 

Sobre
Em 2007, foi criado o Comitê Permanente para as Humanidades e Literacia Cultural da Europa pela European Science Foundation (ESF). Através de uma parceria entre a ESF e a COST, ficou estabelecido que, entre 2009 e 2012, seria desenvolvido um projecto para investigar as seguintes questões:
  • Como está o campo interdisciplinar dos estudos culturais e literários e sua relação com os outros campos? 
  • Como estão os estudos culturais e literários na Europa e se há uma literacia cultural efetiva? 
  • Como podemos desenvolver e ampliar a contribuição da Literacia Cultural na Europa e quais os desafios?

Para efeito da investigação foram definidos quatro áreas dentro dos estudos culturais e literários:
  1. Memória Cultural
  2. Migração e Tradução 
  3. Textualidade eletrônica 
  4. Biopolítica, biossocialidade e o corpo


Os resultados da investigação foram compilados em janeiro de 2013, em uma relatório (PDF) organizado por Naomi Segal e Daniela Koleva, contendo 17 ensaios, “From Literature to Cultural Literacy”, publicada pela Palgrave Macmillan. Actualmente, o comitê gestor do projecto visa implementar as duas primeiras recomendações do relatório de política científica: 
  1. Criar uma série de conferências (bienal) sobre Literacia Cultural.
  2. Inaugurar um Fórum Europeu para a pesquisa dos estudos culturais e literários.
Resumos (PDF dos abstracts)
Link dos resumos

Apresentação de CUNHA, Dr Sonia Regina
Saturday, 18 de abril de 2015, 13:30 horas - Universidade de Londres, Reino Unido

LUSOCOM and the Lusophone/Brazilian communication thought

Abstract: The purpose of this study is to investigate the Cultural Literacy contribution – drawn from the content of research carried out in universities and disseminated in scientific meetings – to the structuring process of Lusophone/Brazilian communicational thought. Scientific production in Portuguese – especially from the transdisciplinary area of Applied Social Sciences: Communication Studies – has got more readers since the publication in digital format of the proceedings of congresses. The Federation of Communication Sciences of Lusophone Associations – LUSOCOM, the object of our investigation – has, since 1997, been disseminating the investigative studies of researchers from Brazil, Portugal, Spain and African Countries of Portuguese Official Language – PALOPs. We could consider Cultural Literacy as a pedagogical tool for ultural Literacy in Europe Conference April 2015: ABSTRACTS 10 higher education students in Portuguese-speaking countries, sharing knowledge through dissemination of intellectual capital produced in this area. Translated theories and concepts have become known in the Portuguese-speaking world, allowing the universities to undertake joint efforts and starting the implementation of intercontinental academic partnerships. Then Europe in the knowledge society rekindles the light of ancient culture through cultural memory revealed in scientific research: translated books, auteur movies subtitled and re-shown, old photos reprinted, literary journals and daily newspapers reinterpreted, artworks re-exhibited with details of the creative process, among others. The investigation seeks to reveal the scope of academic literature in Portuguese-speaking countries of Europe, through the translation of theories and concepts presented at meetings of scientific societies (Lusocom) from academic productions, broadening the debate inside and outside universities, and allowing the hegemonic culture to be reinterpreted from the point of view of the colonized, as an auto-ethnographic analysis. 

Programa

09.04.14 (4.ªfeira) 17h30

Receção aos convidados, com Porto de Honra, visita à 
EXPOSIÇÃO 25 abril/40 anos e passeio fluvial no Douro 

10.04.14 (5.ª-­‐feira) – Instituto Universitário da Maia -­ ISMAI
Castêlo da Maia
4475-690 Avioso S. Pedro, Porto, Portugal

8h30 - Registo dos participantes e levantamento da documentação

9h00 - Sessão de abertura
Mesa:
-­ Presidente do Instituto Universitário da Maia ISMAI
-­ Presidente da Rede Folkcom 
-­ Presidente do Instituto de Estudos de Literatura Tradicional
-­ Diretora do CELCC/ISMAI
-­ Representante da UAb
- Coordenador do Encontro

9h30 - Conferência Inaugural Conceitos e evolução da Folkcomunicação
Prof.Doutora Maria Érica de Oliveira Lima (UFRN/BR)

10h15 – 10h30 - Intervalo/café

10H30 – 12H30 - 1ª sessão plenária: 
Folkcomunicação – raízes e sociedade

Moderador: José Ribeiro (UAb, PT)
Relatora: Cristina Rebelo (ISMAI/CELCC,PT)
Intervenções:
Arnaldo Saraiva (FLUP, PT)
Camiño Noia (Univ. de Vigo, ES)
Élmano Ricarte (Univ. Fed. Rio Grande do Norte, BR)
Isabel Rio Novo (ISMAI/ CELCC, PT)
José Alberto Sardinha (Musicólogo, PT)
Maria Isabel Amphilo (Univ. de São Paulo, BR)

12h30 – 14h15 – Intervalo / almoço

14h15 – 16h15 - 2.ª sessão plenária: 
Arte popular, desenvolvimento e media

Moderadora: Ana Paula Guimarães (IELT, PT)
Relatora: Fátima Nunes (ISMAI/CELCC,PT)
Intervenções:
Eloy Martos (Univ. de Extremadura, ES)
Célia Vieira (ISMAI/ CELCC, PT)
Eliane Mergulhão (Univ. Metodista de São Paulo, BR)
Carlos Nogueira (Fac. Filologia Tradução Univ. Vigo/IELT,FCSH–UNL,PT)
Regina Cunha (Univ. Fed. Rio Grande do Norte, BR)
Pe. António Fontes (Cong. Medicina Popular – Vilar de Perdizes, PT)

16h15 - 16h30 - Intervalo/café

16h30 – 17h30 - Mesa-redonda:
Perspetivas de cooperação científica entre
Portugal, Espanha e Brasil
Participantes:
Ana Paula Guimarães (IELT, PT)
António Hohlfeldt (Intercom, BR)
Eloy Martos (Univ. Extremadura, ES)
Luís Humberto Marcos (AssIBERCOM, CECS e ISMAI-­‐CELCC, PT)
Moisés  Martins (CECS, Confibercom, PT)

17h45 – Sessão de encerramento
(Pe. Fontes - Cong. Medicina Popular/ Vilar dePerdizes, PT)
Átrio ISMAI

Coordenação: Luís Humberto Marcos
ISMAI-­‐CELCC/ CECS/AssIBERCOM


Os crimes do Padre Heusz

Posted by recunha junho 11, 2013 0 comments

Recado do querido professor Emanoel Barreto (DECOM/UFRN) aos leitores do Cultmídia:

"Acabo de entregar a Abimael, do Sebo Vermelho, os originais do livro “Os crimes do Padre Heusz”, onde narro a história de um sacerdote que, após sonho epifânico, sente-se na obrigação de cumprir rigorosamente o ditame bíblico, que diz: “O salário do pecado é a morte.” A partir daí começa sua saga. Imbuído de sacros intentos encarrega um velho químico, seu amigo, a preparar finíssimo veneno. Detalhe: a poção é embebida a hóstias que a seguir são levadas à boca dos ímpios.  Configura-se à letra exata o pagamento do óbolo aos decaídos. Sim, pois Padre Heusz crê firmemente que não os assassina, mas os salva para a vida eterna. O veneno, porém, não é algo grosseiro e cruel. Antes de matar, leva o pecante a sentir-se em concílio com o divino, experimentando por breves instantes o gozo místico. Esse o intento de Padre Heusz: pacificar aquelas almas, para que não sigam ao Além em danação desesperada. Sequer sabem que estão morrendo.

O livro tem prefácio de François Silvestre. É dedicado aos repórteres policiais Pepe dos Santos, Genésio Pitanga e Ubiratan Camilo (in memoriam). São 224 páginas, editado pelas mãos loucas de Abimael, do Sebo Vemelho. Lançamento em julho próximo, no Solar Bela Vista.

Acrescentei à trama a presença de um jornalista, editor de um grande jornal. É a ele que Padre Heusz Envia cartas, narrando tudo o quanto fizera em nome de Deus. Posso citar um dos personagens: Doña Carmencita Pilar Vicenta Alvarado Agostina Menendez Palacios y Silva, espanhola, mulher lindíssima, solar e louca, que vive cercada por dezenas  de gatos angorá e um séquito de mucamas. Convence o marido, de quem tomou o prenome Silva, a promover touradas na fazenda onde moram. Numa dessas atira ao centro da arena, vestido de toureiro, um pobre aleijado, um jovem a quem destina grande desprezo. Ele, a despeito de suas limitações, consegue enfrentar e matar o touro.

Revoltada com o resultado da tauromaquia, que não foi do seu agrado, manda que o jovem aleijado seja abatido a tiros, o que é feito. O pai do rapaz vai em busca de Padre Heusz para que assista à sua vingança e diz: “O salário do pecado é a morte.” Isso é suficiente para convencê-lo: Doña Carmencita merece o ázimo justiceiro. Ela é levada à arena para que seja atacada por um touro, seja ferida e afinal receba do Padre Heusz extrema-unção com a hóstia vingadora. Mas suas mucamas, lindas e nuas, invadem a liça, trazem seus gatos angorá e, mais que isso, apresentam um jaguar para defender a diva. O final é lancinante; só lendo o livro. E vêm muitos outros personagens, todos pecadores e infames.

Para dar maior verossimilhança incluí à narrativa experiências minhas, como a cobertura da chacina de Capim Macio, agregando essa vivência ao personagem jornalista. Também cito o crime de Mansinho, nas Rocas, onde o bandido matou a amante com mais de 70 facadas. Estas e outras memórias entram numa espécie de perfil jornalístico do personagem. A ideia é dar ao leitor a sensação de como funciona uma Redação, suas peripécias, seus desafios.

Afinal, o repórter, em sua investigação, termina por se envolver com o Padre Heusz e chega a pensar que  é seu filho,  até o final aterrador onde um tenta destruir o outro. O objetivo é uma imersão na condição humana, seus desacertos, deslizes, fracassos. Não é um livro de crimes vulgares e insensatos embora nele pulse, pressão alta, a veia do jornalismo policial. Eis aí o paradoxo: o desespero do existir, o matar por quem acredita estar salvando.

Dia 10 de julho farei o lançamento no Solar Bela vista, a partir das 19h."

Emanoel Barreto

Serviço: 
R. Câmara Cascudo, 417, Natal - RN, 59025-280, Brazil‎
+55 84 3201-1131 


Fonte: Owvang, J. Analista Industrial, Vale do Silício, EUA (tradução adaptada para o Blog Cultmidia por Regina Cunha)
Na internet é fácil obter diversas ferramentas para interagir com outras pessoas, mas para saber quais utilizar e quando, é importante saber as diferenças. Muitas pessoas escrevem perguntando qual a diferença entre fóruns, blogs e redes, portanto decidi escrever este post para explicar isso, especialmente sobre o uso e os benefícios de cada ferramenta, em vez dos fundamentos técnicos.

Os fóruns são como misturadores sociais, onde todo mundo supostamente está no mesmo nível, na mesma situação e, simplesmente, quer discutir com os outros. Esta ferramenta de comunicação, de muitos para muitos, permite que qualquer um inicie um tópico, e que qualquer um responda, ou até mesmo, ninguém. Os integrantes, muitas vezes, estão no mesmo nível e o conteúdo em geral, é segmentado por um tópico específico, em vez de por pessoa.

O blog é como um discurso em que o orador (blogueiro) está no controle da discussão, mas muitas vezes, permite que o público (internautas visitantes do blog) faça perguntas e deixe comentários. Inicialmente o blog era feito por um autor apenas, diariamente; mas hoje, é possível encontrar blogs feito por equipes especializadas, com muitas postagens por dia. No contexto da comunicação empresarial, o blog é uma ferramenta opcional que a empresa utiliza para conversar com o mercado, bem como para participar de conversa que os internautas blogueiros podem ter sobre a empresa e os produtos.

As redes são como mesas redondas de debates em um conferência. Imagine uma grande sala de conferência com várias mesas, cada uma com a respectiva identificação e um convite para um debate. As redes permitem que seus integrantes se organizem em torno de relacionamentos ou interesses de uma determinada pessoa, ao invés de apenas debater um tópico. A rede é conectiva e permite introduzir novas pessoas para o grupo, ou conectar-se com outras redes, através de uma variedade de interesses comuns, profissionais e pessoais. As redes são ótimas ferramentas, pois permitem a integração de diferentes profissionais com o objetivo de compartilhar informação, conhecimento e interesses.

É importante conhecer os diferentes tipos de ferramentas digitais disponíveis na caixa de ferramentas da web, porque cada tipo de acessório satisfaz uma necessidade diferente. Antes de recorrer a uma determinada ferramenta, é importante que, primeiro você conheça sua comunidade, entenda a dinâmica que une essas pessoas, de onde elas são, onde querem chegar, e se possível, descubra como é que usam as tecnologias sociais e, mais importante, o que é que elas estão falando.

Para saber mais sobre ferramentas na web clique aqui.

Fonte: MinC
(Texto: Marcos Agostinho, Ascom/MinC) 

(Fotos: Manu Dias/AGECOM e André Bezerra/MinC- capa-) 
A homologação do regimento interno da 3ª Conferência Nacional de Cultura  (CNC) foi publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira (17). A conferência acontecerá em Brasília no período de 26 a 29 de novembro e reunirá representantes da sociedade civil escolhidos nas conferências municipais e estaduais, além de membros do governo.
"Por excelência, a Conferência Nacional de Cultura é o grande espaço disponibilizado pelo ministério para viabilizar o diálogo entre o governo e a sociedade civil, com vistas a construção de políticas públicas em Cultura, disse o secretário de Articulação Institucional Substituto do MinC, Bernardo Novaes da Mata. Ele citou como exemplo a própria proposta de criação e fortalecimento do SNC, que teve inicio nas conferências anteriores.
O tema escolhido para esta edição foi "Uma Política de Estado Para a Cultura: Desafios do Sistema Nacional de Cultura" que será desdobrado em debates sobre a implementação do Sistema Nacional de Cultura em todo o país, sobre a produção simbólica e diversidade cultural, sobre a cidadania e direitos culturais, e sobre Cultura e desenvolvimento econômico, dentre outros.
"Dentro desses eixos estão debates de pontos importantes para o atual momento do MinC. Pela primeira vez Direitos Autorais, Economia Criativa, Territórios Criativos entrarão na pauta de discussões das conferências", disse Bernardo Novaes.
Além destes subtemas haverá uma gama de outras discussões, tais como: a avaliação da execução das metas do Plano Nacional de Cultura (PNC) a partir do monitoramento do Sistema Nacional de Informações e Indicadores Culturais (SNIIC), além do debate sobre as experiências de elaboração, implementação e monitoramento dos planos de Cultura.
Conferências Municipais e Estaduais
Como forma de preparação para a plenária nacional e escolha dos delegados que Apresentação de Grupos Artísticos durante a 3ª Conferência Estadual de Cultura da Bahiarepresentarão a sociedade civil e os governos estaduais e municipais haverá conferências em cidades ou grupos de cidades e nos estados. As conferências municipais devem ocorrer até o dia 14 de julho de 2013 e qualquer cidadão pode participar.
Uma vez escolhidos os delegados das cidades deverá ser realizada as conferências estaduais, até o dia 15 de setembro.
Para a 3ª CNC, em Brasília, no mê de novembro de 2013, está sendo esperada a participação de mais de 3 mil delegados de todo o país, entre representantes do Governo Federal, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios. Além desses poderão participar convidados com direito a voz e a voto e observadores apenas.
Ampliar a participação
O regimento interno da 3ª CNC permite que sejam realizadas conferências livres e conferências virtuais como forma de ampliar o debate dentro da Conferência Nacional. Essas formas de participação não permitem a eleição de delegados, mas somente o surgimento de propostas e a mobilização da sociedade.
As conferências livres poderão ser promovidas e organizadas pelos mais variados setores da sociedade civil e do poder público e ficarão sob a responsabilidade dos segmentos e entidades que as convocarem. A conferência virtual será disponibilizada em portal próprio pelo Ministério da Cultura e terá caráter consultivo.
Veja aqui a íntegra do Regimento Interno.
     


Professora do DECOM UFRN é convidada para participar da Conferência WebScience 2013 em Paris

A professora Sonia Regina Soares da Cunha, do Departamento de Comunicação Social da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (DECOM/UFRN) participa, entre os dias 27 de abril e 4 de maio de 2013, da conferência WebScience 2013 ACM que acontece no Palácio do Congresso, em Paris.

A conferência #WebSci13 é um evento interdisciplinar, uma vez que integra Informática e Ciências da Informação, Comunicação, Linguística, Sociologia, Psicologia, Economia, Direito, Ciência Política, Filosofia, Ciências Humanas Digitais e outras disciplinas, na busca de uma compreensão sobre a web.

A #WebSci13 é única, em todo o mundo, na forma como o evento possibilita a integração e apresentação de pesquisas nessas disciplinas, permitindo um diálogo crítico e criativo, contemporâneo e abrangente. As apresentações reúnem professores e pesquisadores convidados, de diversas instituições do mundo, que irão abordar uma ampla gama de temas contemporâneos, dos quais os seguintes são apenas alguns exemplos: web dados; cyberbullying; falsas opiniões; ação coletiva; dados abertos; marcadores; democracia na web; educação informal online; religião virtual.

No dia 1º de maio, na seção Creativty and Attention in the Age of the Web a professora Regina apresentará os resultados de sua pesquisa de Mestrado desenvolvida no Programa de Pós-graduação em Estudos da Mídia da UFRN (PPGEM/UFRN), sob orientação da professora doutora Maria Érica de Oliveira Lima (DECOM/PPGEM da UFRN). O estudou focalizou o desenvolvimento sócio econômico colaborativo/criativo, a partir da prática videográfica coletiva independente, com conteúdo da cultura popular brasileira. Em 2012, a referida dissertação também obteve um prêmio do Ministério da Cultura, através da Secretaria de Economia Criativa, pelo trabalho de documentação de arranjos produtivos locais (APLs) que contribuem para a economia criativa do País.

ACM WEB SCI 2013 CONFERENCE

Posted by recunha abril 22, 2013 0 comments


The ACM Web Science Conference takes place in Paris between 2nd and 4th May, with workshops on 1st May and 5th May.  Paris in Springtime, with a conference dinner on the Seine! A superb program of papers and short papers is already fixed and late breaking extended abstracts are about to be added.

The Web Science conference is inherently interdisciplinary, as it attempts to integrate computer and information sciences, communication, linguistics, sociology, psychology, economics, law, political science, philosophy, digital humanities, and other disciplines in pursuit of an understanding of the Web. This conference is unique in the manner in which it brings these disciplines together in creative and critical dialogue The presentations at #WebSci13 will address a wide range of contemporary topics, of which the following are just a few examples:

  *   The Web of data
  *    Understanding Social media
  *    Cyberbullying
  *   Fake reviews
  *   Collective action
  *    Open data
  *   Collaborative tagging
  *   Democracy in the age of the internet
  *   Online prayer
  *   Informal learning online

The event will feature keynote presentations from Vint Cerf<http://en.wikipedia.org/wiki/Vint_Cerf>,  co-inventor of TCP/IP and “Father of the Internet”, and Cory Doctorow<http://en.wikipedia.org/wiki/Cory_doctorow>, novelist, technology activist and co-editor of the popular weblog Boing Boing<http://boingboing.net/>. There will also be paper presentations on a wide range of cutting edge Web Science projects, a lively Pecha Kucha<http://www.pechakucha.org/> session of short sharp talks, a debate on how the web is revolutionising society and an evening banquet on the Seine. A draft programme (with updates still to follow) is available here.<http://www.websci13.org/programme/2013/04/websci13-programme-overview/>  The poster session at Wb Science is famously lively, and the single track approach ensures full participation in all aspects of the conference including panels and paper presentations.

While the deadlines for presenting have now passed, we are still welcoming registrations from businesses, academics, policy makers and students who would like to attend the event. Paris in springtime is a wonderful location for a conference and we are looking forward to sharing the Palais dès Congrés with the other ECRC conferences – including Hypertext<http://ht.acm.org/ht2013/>. The conference fees<http://www.regonline.com/Register/Checkin.aspx?EventID=1206107> have been kept remarkably low for such a prestigious venue, thanks to the generous help of the ACM. We have also organised a number of workshops<http://www.websci13.org/workshops/> to bring specialist and interdisciplinary groups together, and so we hope to have something for everyone.

Web Science has recently been described as the science of social machines, but the social and the web extend to an increasingly imaginative, creative and vibrant range of social and artistic practices. The proposal to create a WebSci Fringe<http://www.websci13.org/websci-fringe/> comes out of a desire to recognise and nurture communities which are at the fringe of the Web Science academic community. The intention is that, like other ACM communities such as CHI, related and emerging communities can benefit from a place, forum and association with the more formal programme which is derived from peer reviewed academic submissions.

We look forward to welcoming you to Paris for what we are sure will be a stimulating and informative event! Registration is open here<http://www.websci13.org/registration/>.

-- 
Claudia Roda
Professor of Computer Science
American University of Paris
147, rue de Grenelle, 75007 Paris
+33(0)1.40.62.07.01
croda@aup.fr     http://ac.aup.fr/roda

Quem são as vozes da webradio UFRN

Posted by recunha março 23, 2013 2 comments


Webradio UFRN

Relação dos Grupos que gravaram programas para webradio UFRN

Crônica do Dia
2012966527 - FELIPE GUSTAVO DE MOURA AMÉRICO
Drops Informativo
2013008378 - RAPHAEL LUIZ DE OLIVEIRA SILVA
Gospel Line
2011030191 - VANESSA ARAUJO SARAIVA
2011030351 - IVANEIDE MARIA DA SILVA BARBOSA
Loucos por Séries
2012930909 - ANDRÉ LUIZ BEZERRA DA COSTA SOARES
2012929603 - JÉSSICA CAVALCANTI FERREIRA
2012931610 - WISLLA CRISTINA BALTAZAR DE FARIAS
Minuto dos Astros
2012929452 - BÁRBARA NEVES COSTA DE AZEVEDO
2010020324 - JOÃO AURELIANO DE ALMEIDA MEDEIROS
2012929597 - IXION FONTENELES
Notícias em Destaque na Mídia
2011030389 - FÁBIO SOUZA DA SILVA
2010021690 - JÉSSICA KALLYANNE DE ALMEIDA
2011066265 - JENNERSON LENNON SANTOS DA SILVA
2011030290 - LEONARDO JULIERME MACIEL DE ALMEIDA
2011030487 - ALINE CAPELO NAGY
Revista Cultural Gato Baliado
2009016041 - TATIANA DOS SANTOS PAIS
200608754 - SANDERSON CASSIO SOUSA DA SILVEIRA
2009015797 - EVELINE CRISTINA FEITOSA DE SOUSA
2008008673 - JEAN FÁBIO DA PENHA
2008007898 - ALESSANDRO MUNIZ FONTENELLE
RN Meio-Dia
2010021088 - TALINE HAIANE FREITAS DOS SANTOS
2012043784 - JÉSSYKA MARA DAMASCENO


Café Intercom em parceria com Annablume Editora e Livraria Siciliano
convidam para o lançamento do livro de

Sebastião Guilherme Albano

A imaginação revolucionária
Política, literatura e cinema no México
Edição Revisada

Dia: 14 de dezembro, quarta-feira, às 19h00
Local: Siciliano Shopping Midway

Apresentação: Profa. Dra. Socorro Veloso (UFRN/DECOM/PPgEM) e
prof. Dr. Moacir Barbosa (UFRN/DECOM/INTERCOM)

O livro discute um dos perfis da Revolução Mexicana, a insurgência campesina e burguesa que oficialmente comemorou seu centenário em 2010. O autor apresenta dois modos de representação que estão entre os mais influentes do século passado, o romance e o filme narrativo. Discorre sobre produções que se deram a partir da Revolução, seja sob seus auspícios institucionais, isto é, promovida por alguma organização de fomento à realização, sejam aqueles textos e filmes cujos temas aludem ou se dirigem claramente aos eventos revolucionários. Uma descrição breve da história política e uma análise sucinta de suas consequências retóricas são apresentadas neste estudo, assim como a incongruente trajetória de institucionalização da Revolução e suas consequências na composição de romances e filmes do período.

Sebastião Guilherme Albano é professor Adjunto do Departamento de Comunicação Social e do Programa de Pós-Graduação Estudos da Mídia (PPGEM) da UFRN.



Av. Bernardo Vieira, 3.775 - Tirol - CEP: 59015450 Natal - RN



Av Bernardo Vieira, 3775 lj 17459041006 Natal, Brazil




CONVITE
Caros colegas,

Gostaria de convidá-los para o lançamento do livro Estudos culturais: uma abordagem prática, que tive a honra e o prazer de organizar.
Será no dia 3 de dezembro, a partir das 18:30h, na Livraria da Vila do Shopping Pátio Higienópolis em São Paulo.
Obrigada,
Tatiana Amendola Sanches
Professora de Estudos Culturais na FAAP
Mestre em Comunicação, Cultura e Sociedade (Goldsmiths / University of London)


João Freire Filho (UFRJ) Maria das Graças Pinto Coelho (UFRN)
Organizadores
INSCRIÇÕES
O Seminário tem inscrição gratuita.
Para fazer sua pré-inscrição, por favor, CLIQUE NESTE LINK e preencha os campos da ficha de inscrição disponível no site do evento.
Um código de confirmação de sua inscrição será enviado, posteriormente, por e-mail. 
Esse código é a sua garantia de participação e deve ser apresentado no credenciamento do evento.

    Arquivo

    Cultmidiáticos