A Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres (SPM) em parceria com o a ONU Mulheres Brasil e Cone Sul, o Ministério da Educação (MEC), o Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e lançam a 7ª edição do Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero.

As inscrições terão início no dia 1º de junho e se encerrão no dia 16 de setembro de 2011, às 24 horas, (horário de Brasília). O Prêmio faz parte do Programa Mulher e Ciência/SPM/PR, que estimula a produção científica e a reflexão acerca das relações de gênero, mulheres e feminismos no País e promove a participação das mulheres no campo das ciências e carreiras acadêmicas.

O concurso premia redações e artigos científicos dos estudantes de ensino médio; estudantes de graduação; graduados, especialistas, estudantes de Mestrado; Mestres e estudantes de Doutorado. Para fomentar melhor a perspectiva de gênero no meio educacional, em 2009 foi criado um prêmio especial para as escolas de nível médio: Escola Promotora da Igualdade.


O Prof. Dr. Joseph Straubhaar do Departamento de Rádio-TV-Cinema da Universidade do Texas, Austin, Estados Unidos, e colaborador da Intercom vem ao Brasil e ministrará nos dias 6 e 7 de junho de 2011, na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Departamento de Comunicação (DECOM), o minicurso intitulado “As novas tecnologias e as ações públicas de inclusão digital nos Estados Unidos e no Brasil”

Destinado aos alunos de Graduação e Pós-Graduação em Estudos da Mídia (PPgEM), o curso pretende abordar comparativamente as ações públicas de inclusão digital realizadas no âmbito das políticas de Estado nos Estados Unidos e no Brasil nos últimos 10 anos. A ideia é estabelecer uma margem de cotejo dos mecanismos de formação dos telecentros em ambos os países, com ênfase para as cidades de Austin, no Texas, e Natal, no Rio Grande do Norte. Essas comparações serão realizadas com determinados critérios relacionados com a localização de mencionados telecentros, da qualidade dos aparelhos neles utilizados e da sua frequência, ademais das opções temáticas de uso da internet. Essas condições têm relação com os perfis dos programas de inclusão digital dos Estados nacionais, embasados em suas realidades locais, o que significa grandes divergências entre ambas as iniciativas. No curso, serão apresentados as conclusões de estudos anteriores e serão explicitadas as metodologias e técnicas de estudo.

Sob a coordenação dos professores Maria Érica de Oliveira Lima e Sebastião Guilherme Albano (UFRN/DECOM), o minicurso do prof. Straubhaar constará de dois módulos. O primeiro tem relação com os critérios de composição das políticas públicas e o segundo com seus resultados. Haverá, portanto, a apresentação de uma série de documentos de construção dos métodos de pesquisa dos programas de ação de inclusão e também uma exposição de dados estatísticos a respeito dos elementos analisados com suas consequências no âmbito social.

Com apoio da Pró-Reitoria de Extensão da UFRN, em nome do Pró-Reitor prof. Dr. Cipriano Maia de Vasconcelos, e do DECOM, em nome do chefe de Departamento, prof. Adriano Cruz, o minicurso insere a UFRN na agenda nacional de importantes eventos acadêmicos. 

As inscrições serão realizadas no período de 30 de maio a 3 de junho de 2011, na Coordenação de Comunicação, no horário das 14 às 20 horas. 

Os interessados poderão entrar em contato com a professora Maria Érica (mariaerica@cchla.ufrn.br) para mais informações.

Programe-se:

Minicurso: “As novas tecnologias e as ações públicas de inclusão digital nos Estados Unidos e no Brasil”.
Quando: de 6 a 7 de junho das 14h às 18h
Local: Auditório do Labcom / UFRN

Inscrições: Coordenação de Comunicação Social
Data: de 30/05 a 03/06 das 14h às 20 horas
Telefone: (84) 3215 3562





Jeder Silveira Janotti Junior
Tatiana Rodrigues Lima
Victor de Almeida Nobre (orgs.)

MÍDIA E MÚSICA POPULAR MASSIVA
EM TEMPOS DE INTERNET




Queridas e queridos internautas, 


É com grande satisfação que anuncio o lançamento do livro digital Dez anos a mil: mí­dia e música popular massiva em tempos de internet. O livro está disponí­vel para download gratuito no hotsite www.dezanosamil.com.br em versões para tablets (e-pub), leitores (kindles) e PDF, para quem preferir o formato tradicional. 



Os artigos são frutos de uma rede de pesquisa que está consolidando e aborda os fenômenos musicais a partir da comunicação. A preocupação central dos artigos é pensar articulações entre novas formas de consumo da música, mercado, formação de públicos epolíticas de incentivo à  produção cultural. O e-book foi inspirado nas transformações que mudaram o consumo e a produção musical na primeira década dos anos 00, por isso ele é gratuito, em diversos formatos e procura fazer valer as últimas possibilidades de interação acadêmica e profissional p ropiciada pela rede.

Jeder Silveira Janotti Junior

Fonte: TV Brasil

Iniciativa vai premiar um projeto inédito de documentário de 52 minutos de duração

O Concurso de Seleção de Projetos de Documentários do Programa DOCTV América Latina está com inscrições abertas até 14 de julho. A iniciativa vai premiar um projeto inédito de documentário de 52 minutos de duração, no valor de US$ 70mil em cada um dos países: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Cuba, Equador, México, Panamá, Peru, Porto Rico, Uruguai, Venezuela, Costa Rica e Paraguai.
O processo de seleção, que ocorre simultaneamente em todos os países participantes, inclui uma primeira etapa – a apresentação do projeto, até 14 de julho; uma pré-seleção, que acontece entre os dias 15 de julho e 04 de agosto. Serão selecionados três projetos e o juri é indicado pela Secretaria do Audiovisual (SAV) do Ministério da Cultura, TV Brasil, TV Cultura, ABD-N e Fundación del Nuevo Cine Latino Americano.
Este ano o processo contará com uma etapa intermediária de avaliação feita por um juri internacional que encaminhará ao juri nacional suas observações sobre os projetos pré-selecionados. A etapa definitiva é a defesa oral do projeto pelo realizador – pitching- , e acontecerá no dia 6 de setembro, na sede da TV Brasil, no Rio de Janeiro.
O anúncio do projeto vencedor no Brasil, bem como nos demais países, será no dia 8 de setembro de 2011. O premiado participará de uma oficina de desenvolvimento de projetos na Fundación del Nuevo Cine Latino Americano, em Cuba, ainda em 2011. Depois de produzidos, os documentários serão exibidos em TVs públicas dos países incluídos no DOCTV América Latina III, em 2012.
O Programa, lançado pela Conferência das Autoridades Audiovisuais e Cinematográficas Ibero-americana (Caaci), é coordenado no Brasil pela SAV/MinC, em parceria com a TV Brasil e TV Cultura. Visa estimular e fortalecer o intercâmbio cultural e econômico entre os povos latino-americanos, implantar políticas públicas integradas de fomento à produção e teledifusão de documentários nos países da região e difundir a produção cultural desses países no mercado mundial.
As inscrições para o concurso devem ser enviadas pelo correio à Secretaria do Audiovisual – SAV/MINC – SCS quadra 09, lote C, Edifício Parque Cidade Corporate, 8º andar, Brasília, DF, CEP 70308-200, pelos candidatos ou seus agentes. Podem participar do concurso pessoas físicas brasileiras ou estrangeiras que tenham residência não inferior a três anos no país.

O 8º Seminário Os Festejos Juninos no Contexto da Folkcomunicação e da Cultura Popular, promovido entre 9 e 10 de junho pelo Departamento de Comunicação Social (DECOM) da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), discutirá neste ano a temática Festas Populares e Economia da Cultura. A conferência de abertura será proferida pelo professor Joseph Straubhaar da Universidade do Texas (UT), campus de Austin, nos Estados Unidos. Docente do Departamento de Rádio, Televisão e Cinema, Straubhaar foi diretor do Centro de Estudos Brasileiros no Instituto de Estudos Latino-Americanos e atualmente é diretor adjunto deProgramas Internacionais do Instituto de Política de Telecomunicação e Informação da UT. O pesquisador é autor do livro World television: from global to local e organizador, com o professor brasileiro Othon Fernando Jambeiro Barbosa, da coletânea Informação e comunicação: o local e o global em Austin e Salvador.

Realizado no Teatro Rosil Cavalcanti, no complexo do Parque do Povo de Campina Grande, o evento acontece anualmente durante o Maior São João do Mundo. Em sua oitava edição serão desenvolvidas uma série de atividades, incluindo oficinas, mesas redondas e exposição de trabalhos, que tratarão da relação das festas populares e da economia da cultura com a folkcomunicação, cultura popular, educomunicação, turismo, desenvolvimento local e regional. Entre os palestrantes e debatedores se destacam o professor Roberto Mauro Cortez Motta, um dos mais conceituados sociólogos e antropólogos brasileiros contemporâneos, o professor Giovanni de Farias Seabra, um dos principais especialistas em turismo no país, Célio Torres Fontes, novo presidente da Confederação Brasileira de Entidades de Quadrilhas Juninas (Confebraq), dom Jaime Vieira Rocha, bispo de Campina Grande, além dos secretários municipais de Cultura e de Desenvolvimento Econômico, Eneida Agra Maracajá e Gilson Andrade Lira. A programação cultural contará com a apresentação de quadrilhas juninas, grupos folclóricos e Coral da Associação para o Desenvolvimento Comunitário dos Moradores do Sítio Convento (ADECOM), localizado no município de Riachão do Bacamarte (PB). O poeta Chico Pedrosa, considerado o representante mais importante da poesia matuta brasileira na atualidade, fará um show especial.


A iniciativa do evento é do grupo de pesquisa e programa de extensão Comunicação, Cultura e Desenvolvimento do DECOM/UEPB. “Nossa intenção neste ano é reunir estudantes, professores, pesquisadores, especialistas, representantes de instituições e diversos segmentos da sociedade, com o objetivo de discutir as novas práticas desenvolvidas pelas comunidades para promover suas manifestações tradicionais, as estratégias econômicas adotadas pelos artistas e produtores para dar sustentabilidade aos empreendimentos culturais e as tendências e perspectivas do investimento público e privado nas festas populares e megaeventos, como o São João”, diz o coordenador do seminário Luiz Custódio da Silva. O evento conta com apoio da Secretaria Municipal de Educação, programas de pós-graduação em Desenvolvimento Regional (UEPB-UFCG), Estudos da Mídia (UFRN) e Extensão Rural e Desenvolvimento Local (UFRPE), curso de Educomunicação da Universidade Federal de Campina Grande e faculdades Cesrei, Facisa e FIP.

“A importância do evento, além de ter motivado a realização do XII Congresso de Ciências da Comunicação na Região Nordeste (Intercom 2010), em Campina Grande, acaba de resultar na aprovação da cidade para sediar, juntamente com a nona edição do seminário, a XV Conferência Brasileira de Folkcomunicação (Folkcom 2012), em junho do próximo ano”, ressalta o coordenador geral de Pós-Graduação da UEPB Antonio Roberto Faustino da Costa. O professor Marcelo Pires de Oliveira, presidente da Rede de Estudos e Pesquisas em Folkcomunicação, que promove a conferência, fará seu lançamento na solenidade de abertura do 8º Seminário Os Festejos Juninos. No dia seguinte, o presidente da Rede Folkcom participará da mesa redonda Folkcomunicação, Economia da Cultura e Desenvolvimento Local, cujo objetivo é consolidar a proposta de implantação de uma linha de pesquisa no Programa de Pós-Graduação em Extensão Rural e Desenvolvimento Local da Universidade Federal Rural de Pernambuco e de novas redes de cooperação acadêmica e científica.

As inscrições e o credenciamento no seminário serão realizados no dia 9 de junho, no local do evento. O valor da inscrição será de R$ 25,00 para estudante de graduação e de R$ 50,00 para os demais participantes. Os interessados em apresentar trabalhos terão até o próximo dia 2 para submete-los ao Comitê de Avaliação, através do e-mail: festejosjuninos2011 [ @ ] gmail.com. Poderão ser inscritos textos nas modalidades Comunicação Científica, Relato de Experiência ou Produção Midiática que atendam às normas e formatos previstos para submissão.

Chamada de Trabalhos:






Fonte: Profa. Dra. Maria Érica de Oliveira Lima (UFRN)


CULTURA ACADÊMICA é o segundo selo da Fundação Editora da UNESP, cujo selo central é o EDITORA UNESP, que existe desde 1987 e tornou-se marca já consagrada com um catálogo que a caracteriza como editora universitária de destaque junto ao leitor brasileiro e ibero-americano. 

Com as publicações do selo em parceria com várias Faculdades e Institutos da UNESP e, com a abertura do portal online Cultura Acadêmica, inaugura-se a Coleção PROPG-DIGITAL, que publica livros em primeira edição apenas nos formatos digitais, com a possibilidade de download gratuito. 



Abaixo confira alguns livros que versam sobre COMUNICAÇÃO. 





À Comunidade do CCHLA/UFRN,
A XIX Semana de Humanidades acontecerá de 6 a 9 de junho e o site já se encontra aberto para inscrições de propostas de GTs, Minicursos, Oficinas e outras atividades. Os alunos que desejam se inscrever como monitores também já podem acessar o site. Todas as informações sobre o evento serão divulgadas através do site e dúvidas poderão ser solucionadas com as bolsistas da Semana de Humanidades na Sala de Eventos, na sala 230, pelo e-mail do evento ou, ainda, pelos telefones 3215-3573 ou 3215-3630.
Como não haverá dispensa de aulas, cada professor deverá decidir com seus alunos se irão ou não participar das atividades. Aos professores que se decidirem pela participação na Semana de Humanidades solicitamos que informem à secretaria do evento, para podermos contabilizar os espaços disponíveis.
Em anexo, segue o convite para a abertura do evento, que terá a conferência do diretor de cinema Eugênio Puppo.
Site: http://www.cchla.ufrn.br/shXIX/
Cordialmente,


Márcio Venício Barbosa

Coordenador da XIX Semana de Humanidades


Fonte: Folha

Fuja da bobagem acadêmica; conheça dez dicas para ler artigos científicos

da Livraria da Folha

"A Nova Roupa do Imperador", do dinamarquês Hans Christian Andersen (1805-1875), conta a história de dois vigaristas que enganam um monarca dizendo possuir um tecido que apenas pessoas inteligentes podem ver. Por vaidade, ninguém é capaz de reconhecer que a roupa confeccionada como o pano mágico não existe e que o rei, na realidade, está nu.
Divulgação
Este livro é uma ferramenta para entender as pesquisas científicas
Este livro é uma ferramenta para entender as pesquisas científicas
Protegidos pelo mesmo princípio que os malandros da fábula, alguns artigos acadêmicos são desprovidos de qualquer sentido. Negar a erudição e o conteúdo de certos textos é sinônimo de tolice ou incapacidade.
Para o professor Italo de Souza Aquino, qualquer um pode --e deve-- ler escritos do gênero. Porém, por seguir regras específicas, a linguagem é bem diferente do que encontramos em um romance ou um jornal, características que dificultam a leitura.
Pensando em facilitar a atividade e fugir das fraudes, Italo escreveu "Como Ler Artigos Científicos" (Saraiva, 2010), livro que desmistifica qualquer paradigma sobre o assunto.
Desenvolvido originalmente para estudantes de graduação, mestrado e doutorado, o título pode ser usado por qualquer pessoa. Abaixo, conheça dez estratégias para ler artigos acadêmicos.
*
1. Artigo científico não é para ser memorizado;
2. A leitura de artigos científicos não deve ser de capa a capa; tenha liberdade de ler a parte que mais lhe interessa;
3. Faça marcações em palavras, frase ou parágrafos que sejam interessantes para seu uso (numa revisão bibliográfica ou simplesmente para alguma consulta mais adiante);
4. Escreva no próprio artigo alguma ideia ou o que for preciso. Não tenha medo de escrever no seu artigo. Anotações em artigos, livros e revistas, fazem parte do processo de leitura (aprendizagem);
5. Arquive os artigos já lidos em lugar de fácil acesso;
6. Inicie sua leitura pelo Título e, em seguida, vá para o Resumo; depois, escolha que direção tomar;
7. Quando o resumo transmite informação suficiente sobre algo de que você já tem conhecimento, você poderá até pular a Introdução e ir direto para as Conclusões;
8. Tente ler sempre o original (impresso ou no computador); às vezes, fotocópias podem mascarar alguma linha em gráfico ou algum detalhe em fotografias ou radiografias;
9. Não hesite em marcar todas as palavras ou frases que você não entenda; marque TODAS (com um marca texto) e depois da leitura utilize um dicionário técnico para tentar entender as palavras desconhecidas;
10. Haverá 'coisas' no artigo que você não entenderá (uma palavra, uma expressão, um método) mesmo depois de buscar seu significado em dicionário, faça um grande favor a você mesmo: releia o artigo, seção por seção, e então você verá, como será mais fácil desta vez.
*
"Como Ler Artigos Científicos"
Autor: Italo de Souza Aquino
Editora: Saraiva
Páginas: 112
Quanto: R$ 23,92 (preço promocional)
Onde comprar: pelo telefone 0800-140090 ou pelo site da Livraria da Folha

A profa. dra. Maria Érica de Oliveira Lima da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) compartilha um link do Diário do Nordeste com reportagens sobre "Mãos que Fazem História", que retrata o trabalho artesanatal em diversas áreas no Ceará.


---------- Forwarded message ----------
From: Maria Erica de Oliveira Lima (UFRN) 
Date: 2011/5/22
Subject: Cadernos Especiais Artesãs Diário do Nordeste


Caros,

Segue o link dos oito cadernos produzidos pelo jornal Diário do Norte sobre “Mulheres Artesãs”:

Para cada caderno há um tipo de material a ser destacado: barro, renda, linhas, fibras, tecidos, miscelânea, indígena e redes.
Há três anos mais ou menos que os jornais de Fortaleza (O Povo e o DN) procuram fazer reportagens especiais com tratamento na fotografia, textos, diagramação especial, infografia, etc, acerca de elementos da cultura popular.
Muitas dessas matérias acabam ganhando prêmios como o BNB de Jornalismo para o desenvolvimento regional.

Boa leitura!

Merical



    Arquivo

    Cultmidiáticos