Be-á-Blog

Posted by recunha maio 07, 2009


"A mente humana tende a tratar toda nova idéia
do mesmo jeito que o corpo trata uma nova doença,
rejeitando-a."
Peter Medawar, cientista brasileiro, Prêmio Nobel 1960


De acordo com o Dicionário de Etimologia da Lingua Inglesa, versão de 2001, a palavra blog foi utilizada em 1998 para identificar textos disponibilizados na internet (online). Antes existia a palavra weblog (1994):
web – rede (antes era só a teia de aranha, mas hoje é rede de computadores mundial, a world (=mundial), wide (=abrangente, de ponta a ponta) web, ou www) +
log – que veio da palavra Bloggs (1969). Na Inglaterra o termo ‘joe bloggsera utilizado para se referir a alguém desconhecido, uma pessoa hipotética, assim como em português algumas pessoas utilizam o termo ‘joão ninguém’ ou ‘zé mané’.
Hoje a Enciclopédia Britannica registra o substantivo blog, blogger (redator de blog), o verbo blog como o ato de compor material para um blog e até blogosfera, que é o universo online dos blogs. E nós, aqui do CultMídia adicionamos a ‘blogoteca’, ou em inglês, bloglibrary, que é o conjunto de blogs que tratam de um determinado assunto, dentro de uma determinada área do conhecimento. Mas, por falar nisso, quantos blogs será que existem em todo o universo blogal (outra palavra ‘forjada’ aqui)? Segundo a Technorati Media (*) o mundo contava 78 milhões de blogs em março de 2007. Os japoneses eram titulares com 37%, seguidos pelos britânicos com 36%. (*)De acordo com a Revista TIME: “Se o Google é a biblioteca de referência da web, a Technorati está se tornando a cafeteria, o lugar onde as coisas da web são faladas”.

Hoje é possível encontrar blogs sobre todos os tipos de assuntos e em quase todas as línguas. Inclusive blogs sobre e para educação. A revista A REDE publicada pela Momento Editoral traz uma importante reportagem sobre o assunto na edição de abril de 2009, ano 4, nº 46, com a seguinte chamada de capa: ‘
Blogs para ensinar e aprender’.

Aproveitamos para reproduzir uma parte da matéria escrita por Áurea Lopes que utilizou dados de uma pesquisa em tecnologia educacional feita pela Positivo Informática.

Sete motivos para um professor criar um blog

1. É divertido
Não há nada que legitime mais que o fato de ser divertido. Um blog é assim, pensou, escreveu. E depois os outros comentam.

2. Aproxima professores e alunos
Com o blog, o professor comunica com os alunos em um meio conhecido por eles, o que favorece a troca de idéias mais intensa.

3. Permite refletir sobre as colocações
Ao ter suas colocações comentadas pelos alunos, o professor tem oportunidade de refinar o discurso, descobrir o que desperta polêmica, o que precisa ser melhor explicado.

4. Liga o professor ao mundo
Os blogs reservam espaço para links, o que obriga o professor a pesquisar para oferecer sugestões.

5. Amplia a aula
Aquilo que não foi debatido nos 45 minutos de aula pode ser explorado com maior profundida em outro tempo e espaço. Alunos podem aproveitar para tirar dúvidas, ampliar o tema.

6. Permite trocar experiências com colegas
É muito comum que os professores entrem nos blogs uns dos outros, propiciando uma troca de experiências muito rica. Até professores de turnos, unidades e mesmo escolas diferentes podem interagir uns com os outros.

7. Torna o trabalho visível
O professor que tem um blog tem mais possibilidade de ter seu trabalho visto e comentado.



0 comments

Postar um comentário

    Arquivo

    Cultmidiáticos